Aleteia

O que é a “Quarta-feira do Espião”?

JUDAS
Compartilhar

Semana Santa: antes de Jesus celebrar a Páscoa, um “espião” saiu para traí-lo

À medida que os dias da Semana Santa avançam, acontecem vários eventos que levam diretamente ao que acontecerá na Sexta-feira Santa. Entre esses eventos está a fatídica traição de Jesus por um dos seus próprios discípulos.

Então um dos Doze, chamado Judas Iscariotes, foi ter com os príncipes dos sacerdotes e perguntou-lhes: Que quereis dar-me e eu vo-lo entregarei. Ajustaram com ele trinta moedas de prata. E desde aquele instante, procurava uma ocasião favorável para entregar Jesus. (Mateus 26, 14-16)

Essa ação de Judas rendeu-lhe o título de “espião”, dado pelos cristãos medievais, de acordo com a definição tradicional da palavra inglesa, “aquele que mantém vigilância secreta sobre uma pessoa ou coisa para obter informações”.

De quarta-feira em diante, Judas secretamente observou as chances de entregar Jesus aos sumo sacerdotes, e muitos cristãos rotularam este dia como “Quarta-feira do Espião”.

Na mesma linha, várias culturas refletiram o humor sombrio deste dia, chamando-a de “Quarta-Feira das Sombras”. É também chamada de “Quarta-feira Silenciosa”, já que os Evangelhos não registram nenhuma atividade na vida de Jesus. O único evento é a reunião secreta de Judas com os sumo sacerdotes.

Os eventos de Quarta-feira inauguram os últimos dias da vida de Jesus na Terra e conduzem diretamente ao sacrifício de Jesus na Sexta-feira Santa.

Boletim
Receba Aleteia todo dia