Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Por que você deveria considerar o “co-housing” nos últimos anos de vida

FRIENDSHIP
oneinchpunch - Shutterstock
Compartilhar

Esta nova tendência oferece aos idosos a chance de ter seus últimos anos como um momento emocionante da vida

Imagine estar cercado por um grupo de amigos que não estão sob a pressão de criar filhos e fazer malabarismos no trabalho. Esses amigos têm apenas uma coisa a fazer: envelhecer com alegria, cercados de pessoas com quem eles têm muito em comum.

Se isso soa como algo positivo, você está com sorte. Uma nova tendência, o co-housing sênior, está mudando a maneira como pensamos viver nossos últimos anos.

No co-housing sênior, pessoas mais velhas vivem juntas – compartilhando espaços comuns para lazer, comer, manter a forma, praticar jardinagem, etc. – enquanto mantêm seus próprios quartos para privacidade e sono. O modelo pode assumir muitas formas, como misturar amigos e familiares – incluindo irmãos ou outros parentes que estão em seus anos dourados. Algumas comunidades co-housing poderiam até ser compostas de velhos amigos de faculdade que voltam a se reunir muitas décadas depois, ou idosos que compartilham interesses ou fé em comum.

Como Karen Salmonsohn explicou em seu site, conviver com amigos pode aumentar sua expectativa de vida, pois dá às pessoas uma razão para se levantar de manhã. Isso é confirmado por um estudo da Rede Canadense de Co-Housing, que considera que os idosos que vivem em co-habitação podem viver 10 anos a mais do que seus pares que vivem em casas de repouso.

Salmonsohn também cunhou uma frase perfeita que se encaixa nessa nova geração de idosos que ainda são muito ativos e não precisam de assistência médica: os “Wellderly”. Esses são cidadãos idosos que têm muita experiência de vida e uma alegria de viver para a maior parte de seus anos dourados.

O aumento da expectativa de vida é, no entanto, apenas uma vantagem do sistema co-housing. As pessoas que são capazes de participar economizam dinheiro através da vida em comunidade, e também podem opinar mais sobre onde vão morar e como o espaço será usado. Mais importante ainda, eles sempre terão alguém com quem conversar. Com o co-housing, a idéia de ver uma pessoa idosa abandonada pela maior parte do dia desaparece; com o co-housing, sempre haverá pessoas para cuidar e estar com elas.

Com essas vantagens, não é surpresa que o co-housing sênior esteja em crescimento.