Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Alimente o seu espírito. Receba grátis os artigos da Aleteia toda manhã.
Inscreva-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Uma razão para ser grata por ter um cérebro feminino

WORKOUT
Halfpoint | Shutterstock
Compartilhar

Novas pesquisas comprovam que cérebros femininos e masculinos envelhecem de maneira diferente

Eu sempre observei que as mulheres sentem mais quando se trata de “envelhecimento”. Os efeitos visíveis do envelhecimento (rugas, cabelos grisalhos e ralos) são mais difíceis para nós emocionalmente, já que tendemos a colocar mais do nosso valor em nossa aparência do que os homens.

Mas o processo da menopausa também leva a um sério ônus físico desagradável que vai muito além das ondas de calor e variações de humor, muitas vezes nos deixando com mais gordura corporal, maior pressão sanguínea e ossos mais finos e quebradiços.

Realmente parece injusto. Mas as mulheres têm uma vantagem quando se trata de envelhecer: nossos cérebros envelhecem mais lentamente – cerca de quatro anos mais devagar, para ser exato.

Enquanto a idade reduz o metabolismo de todos os cérebros, as mulheres mantêm uma taxa mais elevada ao longo da vida, relataram pesquisadores na revista Proceedings of the National Academy of Sciences. “As mulheres têm uma idade cerebral mais jovem em relação aos homens”, diz o Dr. Manu Goyal, professor assistente de radiologia e neurologia na Escola de Medicina da Universidade de Washington em St. Louis. E isso pode significar que as mulheres estão melhor equipadas para aprender e serem criativas mais tarde na vida, diz ele.

A descoberta é “uma ótima notícia para muitas mulheres”, diz Roberta Diaz Brinton, que dirige o Centro de Inovação em Ciências do Cérebro da Universidade de Ciências da Saúde do Arizona. Mas ela adverte que, embora o metabolismo cerebral das mulheres seja mais alto no geral, alguns cérebros de mulheres experimentam um declínio metabólico dramático em torno da menopausa, deixando-as vulneráveis ​​à doença de Alzheimer.

Menopausa! Eu sabia que você ia aparecer e arruinar isso de alguma forma.

No entanto, esta é uma ótima notícia para nós. Muitas mulheres evitam terminar a universidade, começar uma carreira ou perseguir seus sonhos e hobbies latentes até que seus filhos cresçam. Saber que nossos cérebros conservam sua capacidade juvenil de aprendizado e criatividade nos anos de liberdade expandida e tempo de lazer é uma bênção, porque podemos deixar de lado o medo de que ficássemos sem tempo para todo o resto se passarmos nossos anos mais jovens concentrando-se em nossas famílias.

Não apenas nosso metabolismo cerebral superior significa que temos mais tempo para aprender e usar nossa criatividade, mas também para nos proteger da doença de Alzheimer enquanto somos jovens. Não é até a menopausa que o metabolismo do cérebro começa a mudar – com algumas mudanças mais dramáticas do que outras. São essas mudanças dramáticas no metabolismo cerebral que criam um aumento nas proteínas associadas à doença de Alzheimer, deixando algumas mulheres excepcionalmente vulneráveis ​​durante a menopausa.

Mas também não estamos à mercê da roleta genética. A intervenção precoce pode realmente impedir o aumento de proteínas prejudiciais e diminuir nossas chances de desenvolver a doença de Alzheimer, e essa intervenção não requer testes ou medicação. É realmente semelhante às mudanças no estilo de vida que ajudam a prevenir o diabetes – principalmente evitando açúcar e fazendo exercícios regularmente.

O que significa que nenhuma de nós, mulheres, temos que esperar para ver se a menopausa nos deixa com o fardo adicional da doença de Alzheimer – podemos nos proteger vivendo vidas ativas e saudáveis ​​enquanto somos jovens. E quando chega a hora de aprender uma nova habilidade, começar uma carreira ou terminar o curso que começamos em nossos 20 anos, podemos ter certeza de que não é tarde demais e não estamos muito velhas. Não importa o quanto o pedágio físico possa nos afetar, na verdade somos mais jovens do que parecemos. Quatro anos mais jovem!

São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.