Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Alimente o seu espírito. Receba grátis os artigos da Aleteia toda manhã.
Inscreva-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Como equilibrar vulnerabilidade e honestidade quando você está namorando

Compartilhar

É uma linha tênue, mas se você quer construir um relacionamento saudável, é melhor fazer isso desde o começo

Namorar é difícil. Você tem de se abrir para fazer o relacionamento com alguém avançar, mas você também não quer compartilhar muito de si para que não se machuque, caso não dê certo.

Namorar alguém sempre envolve risco emocional. No entanto, existem algumas diretrizes que podem ajudar você a criar parâmetros melhores quando se trata de equilibrar abertura e autoproteção quando você está namorando.

Deve-se evitar o fechamento e a autoproteção extrema. Fazer jogos de estratégia no namoro não leva a um relacionamento frutífero. Se você gosta de alguém, avise-o. Fale com a pessoa. Tente passar tempo com ele(a). Não tente criar mistério ou suspense, por exemplo, demorando excessivamente para responder suas mensagens, ou fazendo joguetes.

Namorar no mundo de hoje é difícil porque não há roteiro ou fórmula de namoro estabelecida para seguir. Então, agir como se você não estivesse interessado(a) em alguém quando você realmente está, apenas cria mais dificuldades no processo. Se você estiver interessado(a), aja com interesse.

No outro extremo está uma abertura total e irrestrita, que deve igualmente ser evitada tanto quanto o excesso de fechamento. Você pode definitivamente mostrar que está interessado(a) em alguém sem contar a história de toda a sua vida em um primeiro encontro. E seu/sua pretendente não precisa conhecer todas as suas maiores falhas e seus momentos de maior fragilidade nas primeiras semanas de relacionamento. A abertura irrestrita de si poderá passar a ideia de carência ou poderá intimidar o/a pretendente, especialmente se a outra pessoa não estiver retribuindo compartilhando os mesmos tipos de coisas.

Então, qual é o ponto de equilíbrio entre esses dois extremos? Eu gosto de chamar de “abertura progressiva”.

Compartilhe histórias sobre você, mas não comece com as mais intensas. E certifique-se de que você não é o(a) único(a) que compartilha. Se você está namorando alguém que está demorando para se abrir, peça gentilmente para que tal pessoa compartilhe algumas de suas próprias histórias com você. Qual foi o seu melhor momento no ensino médio? Você viajava de férias com a família?

Agora, se você está namorando alguém que está compartilhando além dos limites, você pode ajudar a pessoa dizendo assim: “Eu ainda não estou pronto(a) para mergulhar tão fundo ainda. Vamos ficar em alguns tópicos mais leves por enquanto.” Se o/a pretendente respeitar sua indicação, isso é um bom sinal.

Mais algumas observações sobre a “abertura progressiva”. Em algum momento, para um relacionamento avançar, alguém tem de dar o salto e admitir algo como “ei, eu realmente gosto de você” ou “eu vejo a possibilidade de um futuro juntos”. E quanto mais confortável um estiver com o outro, mais seus corações e sonhos serão compartilhados.

Quando o fundamento da confiança estiver pronto, haverá mais estabilidade para se construir sobre essa base. Mesmo assim, ainda é preciso coragem para compartilhar os sentimentos, tendo em vista o risco da rejeição. Afinal, quanto mais fundo você mergulha em um relacionamento, mais se arrisca. Mas se você começar devagar, demonstrando interesse, e depois, lentamente, for revelando quem você é, sem mergulhar de cabeça enquanto a confiança não estiver estabelecida, então você estará trilhando um bom começo na construção de um relacionamento saudável.

São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.