Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Newsletter Aleteia: uma seleção de conteúdos para uma vida plena e com valor. Cadastre-se e receba nosso boletim direto em seu email.
Registrar

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

OMS adverte: desligue o celular e vá brincar com seu filho!

PARENTS
Ruslan Guzov - Shutterstock
Compartilhar

Instituição diz que para crescerem saudáveis, as crianças precisam brincar mais, dormir bem e ficar menos tempo diante das telas

Recentemente a Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou novas diretrizes  relacionadas a atividade física, sedentarismo e padrões de sono para crianças menores de cinco anos. Com quase 40 páginas, o documento traz recomendações de acordo com as faixas etárias e é enfático ao esclarecer que os pequenos devem participar ativamente de brincadeiras, ter horas regulares de sono e passar o menor tempo possível sentados diante das telas de aparelhos eletrônicos ou presos em carrinhos de bebê.

O teor do texto reforça o que entidades como a Academia Americana de Pediatria (AAP) e a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) divulgaram nos últimos anos em relação ao tempo de exposição das crianças às telas, principalmente no que condiz a bebês de até 12 meses. 

Em linhas gerais, bebês não devem, sob hipótese alguma, assistirem a vídeos e jogos em telas de celulares, computadores, TV’s e demais equipamentos eletrônicos. A partir dos 13 meses até os 4 anos, a exposição é permitida, mas com restrições: não deve ultrapassar 60 minutos por dia e, quanto menos tempo, melhor.

As diretrizes foram criadas por um grupo de especialistas ligados à OMS e que avaliaram os efeitos do sono inadequado em crianças pequenas e o tempo que elas passavam entretidas com telas. A pesquisa também analisou os benefícios alcançados após haver um aumento da quantidade de atividades com os pequenos.

O principal argumento da OMS é de que, como a primeira infância é um período de rápido desenvolvimento, os pais devem buscar mudanças no estilo de vida com o intuito de melhorar a qualidade da saúde física e mental, o que ajudará também a prevenir a obesidade infantil e outras doenças que poderiam surgir com o passar dos anos. 

Outro importante dado divulgado pela entidade é de que, atualmente, mais de 23% dos adultos e 80% dos adolescentes não são suficientemente ativos fisicamente. E as consequências do sedentarismo vão mais além: a cada ano, ele tem sido responsável por mais de 5 milhões de mortes em todo o mundo, afetando todas as faixas etárias.  

O documento da OMS propõe algo relativamente simples: substituir o tempo de tela por atividades físicas que, consequentemente, proporcionarão sono de boa qualidade. Nessa troca, o adulto que cuida da criança poderá inserir brincadeiras e passatempos interativos não baseados em tela, e que são importantes para o desenvolvimento dos pequenos, como leitura, narração de histórias, canto e quebra-cabeças.

De acordo com a faixa etária, o recomendado pela OMS é:

Bebês de até 12 meses:

– Participar de atividades físicas várias vezes ao dia e de diferentes maneiras, principalmente através de brincadeiras no chão. Para os menorzinhos, com pouca mobilidade, o indicado são 30 minutos na posição de barriga pra baixo distribuídos ao longo do dia enquanto estão acordados. 

– Não ultrapassar o tempo de uma hora preso a carrinhos, cadeirões ou, até mesmo, presos aos pais em bebês conforto. 

– Não se recomenda exposição às telas e os momentos de inatividade podem envolver leituras e narração de histórias.

– Tempo de sono: de 14 a 17 horas (0-3 meses), e de 12 a 16 horas (4-12 meses de idade), incluindo as sonecas.

Crianças de 1 a 2 anos:

-Passar, ao longo do dia, o mínimo de 180 minutos em atividades cuja intensidade variam de moderada a vigorosa.

– Não ultrapassar o tempo de uma hora sentada ociosa ou presa a carrinhos, cadeirões ou, até mesmo, presas aos pais em bebês conforto. 

– Não se recomenda exposição às telas e os momentos de lazer podem envolver leituras e narração de histórias. Para crianças de 1 ano, não é recomendado o uso de passivo de telas, como assistir TV ou vídeos, jogar jogos de computador. Dos 13 meses aos 2 anos, o tempo de tela a não deve ser superior a 1 hora e quanto menos, melhor. 

– Entre uma atividade e outra, a criança pode ter momentos de descanso com leitura e contação de histórias por parte dos pais ou babás.

– Tempo de sono: de 11 a 14 horas incluindo sestas, com regularidade na hora de dormir e despertar.

Crianças de 3 a 4 anos:

– Dedicar ao longo do dia o mínimo de 180 minutos em diferentes atividades de qualquer intensidade, sendo que ao menos por 60 minutos as brincadeiras devem envolver esforço físico de moderado a intenso.

– Não ultrapassar o tempo de uma hora sentada ociosa ou presa a carrinhos, cadeirões ou, até mesmo, presas aos pais em bebês conforto. 

– A pausa entre uma atividade e outra não deve ultrapassar 60 minutos e, durante esse tempo, os pais ou babás podem ler livros ou contar histórias. 

 – Tempo de sono: de 10 a 13 horas incluindo sestas, com regularidade na hora de dormir e despertar.

São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.