Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sábado 31 Outubro |
Beato Domingos Collins
home iconAtualidade
line break icon

Estudo: série "13 Reasons Why" está ligada a aumento de suicídios entre jovens

Netflix

13 Reasons Why, 2017.

Reportagem local - publicado em 02/05/19

Governo, universidades e hospitais dos EUA identificaram impacto da produção da Netflix no índice de suicídios entre pessoas de 10 a 17 anos

A série “13 Reasons Why”, veiculada pela Netflix, foi lançada em março de 2017 para contar a história de uma adolescente que, antes de se suicidar, deixou as suas razões expostas em uma sequência de 13 gravações. A segunda temporada do programa estreou em maio de 2018 e já há uma terceira sendo produzida.

Nesta semana, foi divulgado um estudo feito em parceria entre universidades e hospitais dos Estados Unidos e o Instituto Nacional de Saúde Mental (INSM): de acordo com as suas conclusões, a série está ligada a um aumento de 28,9% nos suicídios de crianças e adolescentes no país. O aumento medido a partir de abril de 2017, mês seguinte à estreia do programa, superou todos os índices registrados anteriormente ao longo do período de 5 anos que foi analisado pelos autores do estudo.

Cabe ressaltar que o INSM é vinculado ao Departamento de Saúde e Serviços Humanos do governo dos Estados Unidos e é referência no país em pesquisas de saúde e biomedicina. O estudo foi publicado pelo Journal of the American Academy of Child and Adolescent Psychiatry.

Tendências

A variação na quantidade de suicídios de meninas não foi considerada estatisticamente relevante pela pesquisa, mas, entre os meninos, o aumento foi reputado como bastante significativo no mês seguinte à estreia de “13 Reasons Why“.

Lisa Horowitz, cientista do INMS e uma das responsáveis pelo estudo, observa:

“Os resultados devem alertar para o fato de que os jovens são especialmente sensíveis ao que é exibido pela mídia. Todos os profissionais, inclusive da mídia, precisam se preocupar em serem construtivos e cuidadosos ao lidar com temas relacionados a crises de saúde pública”.
Netflix

O estudo

Foram analisadas estatísticas de suicídio de pessoas de 10 a 64 anos entre 1º de janeiro de 2013 e 31 de dezembro de 2017, com base em dados divulgados pelo governo norte-americano, para comparar os índices antes e após o lançamento da série. Os pesquisadores também analisaram se outros eventos posteriores ao lançamento da série podem ter levado ao aumento dos suicídios.

Na faixa de 10 a 17 anos, identificou-se significativo aumento em abril, junho e dezembro de 2017. Entre abril e dezembro daquele ano, registraram-se 195 suicídios acima do previsível para o período. Não se verificou variação relevante na faixa de 18 a 64 anos.

Em tese, não é necessariamente conclusiva a relação de causa-efeito entre a série e o aumento de suicídios no período seguinte à sua estreia, já que outros fatores podem tê-lo influenciado; no entanto, nenhum fator adicional pôde ser apontado com clareza, o que, segundo os pesquisadores, reforça os indícios de que houve, sim, influência da série no aumento desses índices.

Partindo da premissa de que o comportamento juvenil é notoriamente influenciável pelas abordagens da mídia sobre temas de seu interesse, a Organização Mundial da Saúde e a organização norte-americana Aliança Nacional de Ação pela Prevenção do Suicídio lançaram recomendações sobre as formas como o suicídio deve ser tratado em produções de cinema e televisão.

Outros estudos

Pesquisadores da Áustria, Bélgica e Estados Unidos identificaram que, entre espectadores da segunda temporada completa, houve menos relatos de propensão ao suicídio e à automutilação. No entanto, essas chances aumentaram entre os jovens que interromperam a temporada pela metade. Para os autores do estudo, a série pode ter efeitos tanto positivos quanto negativos sobre a psicologia dos espectadores.

Posição da Netflix

Mark RALSTON / AFP
30 de março de 2017 / AFP PHOTO / Mark RALSTON

Em nota, a empresa que veicula a série afirmou que está analisando o estudo recém-divulgado e que vem “lidando de maneira responsável com essa questão sensível“, mas também retrucou que a pesquisa em questão contradiz outro estudo, da Universidade da Pensilvânia, segundo o qual os jovens que acompanharam a segunda temporada da série se declararam menos propensos a suicidar-se.

Recepção da série

As críticas por parte dos assim chamados especialistas em entretenimento foram em geral positivas, porque, supostamente, a produção incentivaria a conscientização sobre temas como estupro, bullying e autoflagelação. No entanto, houve polêmicas quanto ao excesso de detalhes sobre como a protagonista tirou a própria vida, bem como à falta de ênfase no quanto essa atitude é extrema, absolutamente evitável e radicalmente desaconselhável.

Epidemia de suicídios

O suicídio já é a terceira maior causa de morte entre jovens de 10 a 24 anos nos Estados Unidos: em torno de 4.600 por ano segundo os dados do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC). A maioria dos suicidas é do sexo masculino.

Em muitos países o suicídio está hoje entre os mais relevantes pontos de atenção. Um deles é o Japão:




Leia também:
Japão, 30 mil suicídios por ano: riqueza, tecnologia, mas… vazio na alma

____________

Com informações da BBC Brasil

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
JovensSuicídiotelevisao
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Brasileira Simone Barreto Silva é vítima de ataque terrorista na catedral de Nice
Reportagem local
Brasileira é vítima no ataque terrorista na c...
Reportagem local
França: atentado na basílica de Notre Dame em...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Pe. Robson de Oliveira
Francisco Vêneto
Defesa desmente Fantástico, da TV Globo, em n...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
Reportagem local
Corpo incorrupto de Santa Bernadette: o que o...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia