Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Newsletter Aleteia: uma seleção de conteúdos para uma vida plena e com valor. Cadastre-se e receba nosso boletim direto em seu email.
Registrar

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

O dia em que Nossa Senhora impediu uma mãe de tirar a própria vida

VIRGIN OF THE CHILDREN
Compartilhar

O milagre da Virgem das Crianças: uma comovente história direto da Toscana italiana

Clique aqui para abrir a galeria de fotos

Em 21 de julho de 1451, na cidade italiana de Treggiaia, aconteceu um fato extraordinário. A Virgem Maria apareceu a uma mulher desesperada, que estava a ponto de cometer suicídio, atirando-se em um rio. A mulher era uma jovem mãe que acabara de perder seu terceiro filho, depois de os outros dois menores também terem morrido sem causa aparente.  

Com o nascimento do terceiro, o esposo dela, que atribuía a morte das outras crianças à negligência da mulher, a ameaçou de morte se algo acontecesse com o recém-nascido. 

A mãe vigiava constantemente seu pequeno filho, com muita esperança, amor – e até com temor. Por isso, é de se imaginar o tormento que ela passou quando, ao voltar para a casa para alimentar o bebê, o encontrou frio como um cadáver. Desesperada pela perda do filho e com medo das ameaças do marido, ela correu até o rio Roglio, na intenção de dar um fim à sua vida. 

Enquanto corria freneticamente pelo caminho, apareceu uma mulher de porte nobre, que a convenceu a não seguir a estrada e a acompanhou até a casa, assegurando-lhe que seu pequeno filho ainda estava vivo. 

Ao chegar à residência, encontraram o menino imóvel e sem vida. Mas tão logo a Virgem lhe tomou nos braços, o bebê começou a respirar e a se mexer novamente. A alegria da mãe foi imensa, e, depois de agradecer a benfeitora, perguntou-lhe seu nome e onde vivia, a fim de lhe dar uma prova de gratidão. Foi aí que a mulher bondosa respondeu: “Chamo-me Maria e vivo em Cigoli, entre Roque e Miguel”. Depois disso, ela desapareceu entre raios de luz. 

Dias depois, a mãe se dirigiu a Cigoli com um cesta de alimentos para agradecer a senhora. Deu voltas por toda a vila, mas não encontrava nenhuma mulher chamada Maria. Cansada, foi até a igreja e lá entendeu tudo: a mulher não conseguiu segurar as lágrimas ao reconhecer na imagem de Nossa Senhora a amada e piedosa benfeitora que tinha “ressuscitado” seu filho. 

Desde então, muitas mães passaram a visitar o Santuário da Virgem das Crianças para agradecer pelo dom da maternidade ou pedir este dom. 

Clique em “Abrir a galeria de fotos” para conhecer esse santuário italiano. 

 

Boletim
Receba Aleteia todo dia
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.