Aleteia logoAleteia logoAleteia
Domingo 26 Junho |
São Maxêncio
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Professor choca universitários ao comparar bebês em gestação com parasitas

uc-san-diego.png

Dylan Griswold / Twitter

Reportagem local - publicado em 07/05/19

Na apresentação “A biologia da doença”, o bebê é descrito como um câncer. Genocidas e abortistas famosos apelaram para a mesma linguagem.

A apresentação de um professor de biologia da Universidade da Califórnia em San Diego deixou estudantes chocados por comparar o desenvolvimento de um bebê em gestação com o crescimento de um câncer ou de um parasita.

O estudante de medicina Dylan Griswold compartilhou em sua conta no Twitter uma foto do momento em que o professor expôs esse conteúdo em sala de aula. A identidade do professor não foi apontada pelo aluno. A imagem, por sua vez, viralizou nas redes sociais.

Segundo Dylan, o título da apresentação em questão era “A biologia da doença”. Ela descreve o bebê em gestação como “um legítimo parasita”, que, assim como um câncer, cresce rapidamente, invadindo e manipulando a imunidade da mãe.

Tal retórica lembra fortemente a de Margaret Sanger, fundadora do conglomerado internacional de clínicas abortistas Planned Parenthood, já envolvido em escândalos como o tráfico de partes de fetos abortados.




Leia também:
Estarrecedor açougue humano: maior conglomerado abortista dos EUA vende órgãos de fetos assassinados

Sanger também usava termos pejorativos ao se referir a certos grupos humanos, defendendo a esterilização e segregação de minorias, doentes e deficientes. Ela chegou a palestrar para membros da Ku Klux Klan. Em seu livro “The Pivot of Civilization“, Sanger escreve explicitamente:

“Eles são (…) ervas daninhas em formas humanas, reprodutores imprudentes, áreas de desova (…), seres humanos que jamais deveriam ter nascido”.

Não à toa, o modo de expressão do professor de biologia da UC em San Diego foi comparado, por usuários do Twitter, ao do líder nazista Adolf Hitler, que também se referiu a grupos humanos como “parasitas” em seu livro “Mein Kampf”.

A proposta, no fim das contas, é a mesma: validar a aceitação do assassinato de seres humanos ao fomentar a negação, precisamente, da sua condição humana.

__________

A partir de matéria do Life News

Tags:
AbortoCultura do descarteIdeologia
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia