Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Cadastre-se e receba Aleteia diretamente em seu email. É de graça.
Receber

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Conselhos para lidar com as críticas de forma serena

PSYCHOLOG
wavebreakmedia | Shutterstock
Compartilhar

3 dicas de um santo que foi constantemente criticado

Como padre, eu ouço muitas críticas. Os temas são muito abrangentes – o volume do sistema de som, o choro dos bebês durante a missa, a posição das velas no altar, uma palavra usada durante a homilia, o modo como eu me visto. E as críticas não são apenas direcionadas a mim. As pessoas vêm me dizer o que está errado com as outras pessoas e com o mundo. De certo modo, é um sinal de respeito que as pessoas estejam tão dispostas a ser honestas comigo.

Mas nem sempre eu lidei bem com isso. Ainda me lembro de quando comecei a escrever seriamente e publicar artigos. Na internet, os comentários podem ser brutais. Haverá inevitavelmente um ataque pessoal ou uma reação negativa totalmente sem sentido. Isso já me incomodou muito, mas depois notei outra coisa. Todo mundo é criticado. Como padre e escritor, não sou único. Todos, em todas as esferas da vida, são questionados e atacados.

Amanhã é a festividade de São Bernardino, franciscano do século 14 que viveu no norte da Itália. Quando conheci sua história, fiquei impressionado com a forma como esse humilde homem foi constantemente criticado. Quando virou monge, sua primeira tarefa foi pedir esmolas em Siena, motivo pelo qual ele foi frequentemente criticado pelos habitantes da cidade. Entre seus familiares, ele foi criticado por ter se tornado monge ao invés de um homem de negócios. Diz-se que Bernardino absorvia com calma os insultos e as críticas.

Mais tarde em sua vida, Bernardino tornou-se um pregador famoso, multidões de 30.000 pessoas acorriam para ouvi-lo falar. E quanto mais famoso, maiores foram as críticas. Um nobre local se ofendeu e ameaçou-o com prisão e morte se Bernardino não mudasse os temas de seus sermões. Ele foi denunciado como herege e forçado a ir a julgamento perante o Papa para se defender. Ele por fim conseguiu limpar seu nome, mas enquanto esteve em meio às críticas, permaneceu, como sempre, perfeitamente calmo. Tudo o que ele dizia era: “Deus cuida dessas coisas”.

Bernardino fala sobre como lidar com as críticas de forma serena, contando uma história sobre um abade e um de seus jovens monges. O abade diz ao monge para buscar um burro. O abade monta no burro e inicia a viagem, enquanto o jovem monge segue a pé. Quando eles passam pela cidade, um homem reclama que o abade está sendo egoísta, pois o jovem monge caminha na lama. Então o abade desce do burro e pede para o jovem monge ir montado. Mais adiante, um homem os vê e comenta que é muito estranho que um homem velho ande enquanto um jovem segue montado, quando, na verdade, ambos podiam montar no animal. Então o abade também sobe no burro. Mais à frente, um homem os vê e comenta que o abade e o monge estão maltratando o animal. Então eles descem do burro. Vem outro homem e diz que os dois são insensatos de caminhar e não montar no burro.

A partir dessa fábula, Bernardino explica que alguém, em algum lugar, vai criticá-lo por qualquer coisa que você faça, então não se preocupe com as opiniões de outras pessoas.

Em primeiro lugar, leve as críticas a sério, mas não de forma pessoal

Isso não significa mudar ao primeiro indício de uma opinião diferente, mas também significa não mergulhar numa reação defensiva. Bernardino prosseguiu com serenidade em seu caminho.

Segundo, se você refletiu sobre suas ações, não se preocupe com o que as outras pessoas pensam

Busque bons conselhos, ouça sua consciência, tome sua decisão e não dê atenção à negatividade e às críticas.

Em terceiro lugar, nenhuma discussão é necessária

Nem Bernardino – nem seu abade fictício – pararam para discutir com seus detratores. Nem todo mundo precisa concordar ou nem mesmo entender tudo o que você faz. E discutir com os críticos muitas vezes é simplesmente uma energia desperdiçada.

No final, Bernardino lidou com as críticas tão bem porque sabia que estava indo agindo da melhor maneira que podia. Suas ações eram genuínas em favor das outras pessoas, e não por causa de sua reputação. A única coisa que importa é viver generosa e humildemente, sempre procurando fazer o bem em todas as situações – não importa o que nossos críticos digam.

Boletim
Receba Aleteia todo dia
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.