Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Segunda-feira 30 Novembro |
São Mirocletes
home iconReligião
line break icon

Níger: ataque a paróquia e agressão a sacerdote é sinal da crescente violência

CHRZEŚCIJANIE W NIGERII

AP/Associated Press/East News

Fundação AIS - publicado em 21/05/19

No próprio dia 13 ocorreram mais dois incidentes, com um ataque por homens armados a uma prisão de alta segurança e o roubo a um armazém

Desconhecidos atacaram a paróquia católica de Dolbel, pertencente à diocese de Niamey, na região de Songhay-Zerma no Níger, e feriram o Padre Nicaise Avlouké.

Este ataque, que ocorreu na segunda-feira, dia 13 de Maio, é sinal preocupante da crescente onda de violência na região onde em Setembro do ano passado foi sequestrado o padre italiano Pierluigi Maccalli.

No próprio dia 13 ocorreram mais dois incidentes, com um ataque por homens armados a uma prisão de alta segurança e o roubo a um armazém de materiais de comunicação.

Todos estes eventos apontam para uma situação de grave insegurança na região do Sahel com as comunidades cristãs a serem um dos alvos da violência de grupos armados.

A falta de notícias sobre o paradeiro do missionário italiano é uma fonte de enorme preocupação para a Igreja e o Papa Francisco lembrou-o no final da semana passada na reunião do Capítulo Geral da Sociedade das Missões Africanas.

No encontro, o Santo Padre sublinhou o trabalho dos missionários que, não raras vezes, arriscam a própria vida ao serviço das comunidades mais desprotegidas e lembrou o padre Pierluigi desaparecido desde Setembro de 2018 na região fronteiriça entre o Níger e o Burkina Faso.

“Obrigado pelo vosso zelo missionário, imbuído de coragem, que vos leva a sair e a oferecer a todos a vida de Jesus Cristo e, às vezes colocando a vossa própria vida em perigo”, disse o Papa Francisco, acrescentando: “Neste sentido, gostaria de me juntar a vós em oração pelo vosso irmão Pierluigi Maccalli, que foi sequestrado há vários meses no Níger”.

Em relação ao sequestro do missionário italiano, a Fundação AIS deu conta, no passado mês de Abril, do sofrimento que está a ser vivido também pelo Padre Walter, actualmente a viver na Libéria, pela falta de notícias sobre o paradeiro do seu irmão, o Padre Pier Luigi Maccalli.

Alexandra Almeida, uma missionária leiga oriunda da paróquia de Famões, no Patriarcado de Lisboa, está actualmente em Foya, na Libéria, e tem contactado com regularidade com o Padre Walter colocado nesta região precisamente quando o seu irmão foi raptado, ao que tudo indica, por um comando jihadista.

Numa mensagem enviada para Lisboa, para a Fundação AIS, Alexandra afirma que o Padre Walter “tinha sido nomeado para a Libéria quando o seu irmão foi raptado a 17 de Setembro”. Apesar do sequestro “e para surpresa de todos, ainda assim, decide partir para Foya” para “estar ao serviço” das populações locais, “celebrando, ajudando e cuidando daqueles que mais precisam”. “Só assim é que faz sentido”, acrescenta Alexandra Almeida.

Desde 17 de Setembro, quando oito homens armados que se faziam transportar em motocicletas raptaram o Padre italiano Pier Luigi de sua casa em Bamoanga, mesmo em frente à igreja local, nunca mais houve notícias do sacerdote.

A expectativa, porém, é que se encontre no Burkina Faso, segundo a afirmação do porta-voz do governo local, Rémi Dandjinnou, em entrevista publicada recentemente no canal francês de rádio RFI. Recorde-se que o Burkina Faso, país que faz fronteira com o Níger, tem sido palco também de vários ataques contra a Igreja nos últimos tempos. Tal como a Fundação AIS noticiou na semana passada, homens armados atacaram na manhã de domingo, dia 12 de Maio, uma igreja durante a celebração da missa na cidade de Dablo, causando seis mortos entre os quais um sacerdote, o Padre Simeon Yampa.

Os agressores incendiaram posteriormente o edifício da igreja assim como um centro de saúde e algumas lojas. Este foi o terceiro ataque a igrejas no Burkina Faso nas últimas semanas e ocorreu apenas dias depois de uma operação militar francesa de resgate de ocidentais que se encontravam sequestrados ao que tudo indica por grupos jihadistas.

(Departamento de Informação da Fundação AIS)

Tags:
Perseguição
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
READING
Gelsomino Del Guercio
3 regras fundamentais para os leitores da mis...
Aleteia Brasil
Oração do Advento
SANTUÁRIO DE APARECIDA INTERIOR BASÍLICA
Reportagem local
Suposto surto de covid-19 entre padres do San...
Jesús V. Picón
Padre com câncer terminal: perde os olhos, ma...
OLD WOMAN, WRITING
Cerith Gardiner
A carta de uma irlandesa de 107 anos sobre co...
FIRST CENTURY HOUSE AT THE SISTERS OF NAZARETH SITE
John Burger
Arqueólogo diz ter encontrado a casa onde Jes...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia