Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

O que não pode faltar na mala da maternidade

PREGNANT WOMAN LYING IN BED
By Syda Productions | Shutterstock
Compartilhar

Roupas e itens de higiene pessoal não podem ficar de fora. Mas tem outro item que você não pode esquecer de jeito nenhum

Nas últimas semanas de gestação a mamãe fica cada vez mais ansiosa. Afinal, falta pouco para que ela finalmente veja a carinha do bebê pela primeira vez. 

Em meio às expectativas, os preparativos para a chegada do bebê são finalizados: todas as roupinhas já lavadas e guardadas, o quartinho está pronto e a bolsa arrumada e revisada inúmeras vezes.

Mas, frente a tanta preocupação com o momento do parto, algumas mamães podem se esquecer de colocar itens importantes na mala. Por isso preparamos uma pequena check-list que será útil para as leitoras grávidas. Confira!

– Camisola e/ou pijamas e chinelos: atualmente a permanência da mamãe e do bebê no hospital não costuma ultrapassar 48 horas. Sendo assim, é recomendado levar duas camisolas confortáveis e apropriadas para a amamentação. Caso o clima esteja mais frio, um pijama cumprirá a função. Já os chinelos ou pantufas irão facilitar nos momentos em que a mamãe precisará se locomover pelo quarto;

– Kit de higiene pessoal: uma pequena nécessaire contendo escova e pasta de dente, pente, sabonete, hidratantes facial e corporal, shampoo, condicionador, desodorante e absorventes íntimos;

– Sutiã de amamentação: a partir do nascimento, os tradicionais tops e sutiãs darão lugar a peças adequadas à amamentação, que facilitam nas horas em que é preciso alimentar o bebê. Dois ou três sutiãs do tipo na mala da mamãe serão essenciais;

– Toalha de banho e/ou roupão: o serviço de hotelaria de alguns hospitais oferece toalhas. É bom certificar-se. Agora, se você quiser levar a sua toalha favorita e também um bom roupão não haverá problema;

– Troca de roupa: Após o esperado momento da alta hospitalar o bebê vestirá a roupinha especialmente escolhida para a ocasião e a mamãe também poderá ir pra casa vestindo algo confortável e que facilite na hora de amamentar. Reserve opções de peças como calças, camisas ou vestido e coloque duas trocas em sua mala. E não deixe de incluir também três ou quatro trocas de roupas íntimas;

– Almofada de amamentação: No hospital, a mamãe contará com a ajuda de enfermeiras durante as primeiras mamadas do bebê. Nessas horas, a almofada de amamentação será muito útil, pois sua função é permitir que a criança fique na posição ideal quando colocada no seio;

– Sacramental: seja água benta, crucifixo ou rosário, não deixe de levar aquele sacramental que está sempre com você. Nesse momento tão abençoado que é o parto, nada melhor do que ter por perto um objeto que lhe ajude a focar e acolher toda a graça de Deus; 

– Plano de parto e documentos pessoais: O plano de parto é um recurso muito usado por mulheres cujo parto foi realizado pelo mesmo médico que a acompanhou no pré-natal. Seja no formato de uma simples carta ou de uma lista, o documento preparado previamente durante a gravidez traz por escrito alguns pedidos da mamãe como, por exemplo, se quer ou não receber analgesia, se quer ter o bebê em alguma posição específica, se deseja que o esposo ou outro acompanhante faça o corte do cordão-umbilical etc.

Espero ter ajudado. Um excelente e abençoado parto para você.

São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.