Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Alimente o seu espírito. Receba grátis os artigos da Aleteia toda manhã.
Inscreva-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

O segredo para encontrar o amor quando você é (dolorosamente) solteiro

SINGIELKA
Katy Belcher/Unsplash | CC0
Compartilhar

Uma mulher compartilha a grande lição que aprendeu enquanto esperava muitos anos pelo “Sr. Certo”

Se alguém tivesse me dito quando eu tinha 20 anos que eu esperaria até os 42 anos para encontrar o “Sr. Certo”, eu teria ficado furiosa. Mas a verdade é que eu conheci meu marido Greg quando eu tinha 42 anos e nos casamos quando eu tinha 44 anos. Em retrospecto, o momento foi perfeito.

Mas não me entenda mal – eu não estava bem em ser solteira e namorar. Eu não gostava disso. Para mim, foi um tormento, que parecia interminável e solitário. Foi somente com o dom do tempo que passei a apreciar e entender que havia um propósito para tudo isso. E parte desse propósito, acredito, é ajudar a encorajar outras mulheres com a esperança que me foi dada.

Desde o meu casamento, falei com muitas mulheres solteiras. Todos elas estão tentando equilibrar a vida, o trabalho e o namoro – enquanto permanecem esperançosas e otimistas em encontrar seu verdadeiro amor – espero que mais cedo do que eu! Através de meus encontros com essas mulheres, bem como minhas próprias experiências, me convenci de que o coração de uma mulher é difícil de amar e ser amado. Na verdade, todo coração é assim, mas o coração de uma mulher anseia pelo amor da maneira que um jardim anseia por sol e água. A maioria das mulheres tem o sonho de ser incondicionalmente amada e aceita por um homem com quem deseja ter filhos.

Isso torna tudo ainda mais doloroso quando a realidade de não ser casada – ou estar no seu caminho de isso acontecer – começa a martelar em sua cabeça, geralmente em torno de 20 e 30 anos. Essa luta é frequentemente composta por uma voz provocadora dentro de nossas cabeças que diz: “Se eu não encontrar meu marido em breve, meu sonho de ter filhos pode não se tornar realidade”.

Se você ou alguém que você conhece está passando por isso, a verdade é que este estado na vida pode ser frustrante, solitário e desencorajador – mas você não está sozinha e há esperança.

Uma das perguntas que mais ouço é: “o que você fez para permanecer esperançosa?”. Para ser honesta, eu apenas continuei colocando um pé na frente do outro e lutei quase a cada passo do caminho. Eu me concentrei em coisas que eu amava fazer e aproveitei a liberdade de viajar, conquistei meu mestrado e cumpri algumas maratonas.

Além disso, e nem de longe tão glamourosa, eu esgotei todas as possibilidades ruins de um parceiro de vida – principalmente porque eu não estava realmente ouvindo meu coração. Se eu tivesse dado uma boa olhada em alguns dos homens com quem eu estava preocupada, teria de reconhecer que eles eram ruins para mim, mas eu havia formado apegos doentios que eram difíceis de quebrar e fiquei com medo de que nada mais desse certo.

Foi uma jornada longa, árdua e às vezes agonizante que me levou à minha própria entrega pessoal – e felicidade. Eu percebi que o que eu estava fazendo não era bom para minha alma e eu estava cansada o suficiente da frustração e das decisões ruins para finalmente entregar essa grande missão minha. Meu diretor espiritual me orientou a orar todos os dias, “Senhor, ajude-me a estar aberta para o amor que você me enviar hoje”. Essa oração me convenceu de que somente Deus poderia fornecer a aceitação amorosa e a paz que meu coração ansiava. Foi essa verdadeira entrega do meu coração que me fez perceber quão abençoada eu era pelos presentes magnânimos da graça, amigos, família e perfeita provisão de Deus, que já me cercavam. Eu finalmente chegara a uma paz – uma paz longa e dura. Eu poderia me relacionar com as palavras de Santo Agostinho: “Meu coração ficou inquieto até encontrar descanso em Ti, ó Deus”.

Desde que eu realmente me rendi, e orei fervorosamente para estar aberta ao amor que Deus queria me enviar em minha vida, não era mais minha esperança ou projeto para encontrar um marido. Presumi que continuaria a ver Seu amor nas pessoas em minha vida, em meus atos de serviço, mas no tempo perfeito de Deus, Greg foi apresentado a mim por amigos próximos apenas após menos de dois meses.

Greg e eu estamos convencidos de que o momento era crucial para que nosso relacionamento fosse bem-sucedido. Acreditamos que, se tivéssemos nos encontrado em outro ponto de nossas vidas, nenhum de nós teria reconhecido o companheiro de nosso coração no outro, pois ambos ainda estávamos em processo de rendição e de estarmos preparados um para o outro.

Entregar-se a Deus e ao Seu amor é o único caminho seguro para alcançar a felicidade durante todos os estágios e situações da vida. Esta lição foi fundamental quando eu era solteira, mas continua até agora quando luto com vários obstáculos para encontrar a felicidade. Nós somos realmente chamados à felicidade e não importa o nosso estado na vida, a melhor maneira de encontrá-la é descansar no conhecimento de que somos incondicionalmente amados e aceitos, e entregar nossas vidas à Divina Providência.

 

Boletim
Receba Aleteia todo dia
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.