Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Cadastre-se e receba Aleteia diretamente em seu email. É de graça.
Receber

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Batizada bebê que resistiu a tentativa de aborto na 26ª semana de gestação

Erwin Bazán / Facebook
Erwin Bazán e o pe. Jordá junto à incubadora da bebê sobrevivente Victoria
Compartilhar

Filha de uma menina de 14 anos que havia sido estuprada, Victoria nasceu pesando apenas 1 quilo e conquistou o amor de uma nação

Victoria é o nome da bebê que nasceu em Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, depois de resistir surpreendentemente a uma tentativa de aborto sofrida na 26ª semana de gestação.

Ela é filha de uma menina de 14 anos que tinha sido estuprada e que, portanto, segundo as leis bolivianas, não precisava de autorização judicial para recorrer ao aborto.

Com base no direito à objeção de consciência, porém, vários médicos se recusaram a fazer o procedimento. O aborto acabou sendo ordenado pelo diretor médico do hospital, Federico Urquizo, que determinou a administração de comprimidos à menina por via oral e vaginal. A bebê, no entanto, resistiu à tentativa de aborto.

Erwin Román, chefe de neonatologia do hospital, explicou à imprensa que foi aplicado então o protocolo segundo o qual a obrigação dos médicos é tentar salvar a vida de todo bebê que nasça com probabilidades de sobrevivência. E foi assim que, pesando apenas 1 quilo, Victoria veio à luz deste mundo e recebeu ainda no hospital o batismo de emergência.

O porta-voz da arquidiocese de Santa Cruz, Erwin Bazán, contou via Facebook:

“Com alegria e esperança, anuncio que, devido ao seu delicado estado de saúde, Victoria recebeu nesta tarde o Batismo de Emergência na Unidade de Terapia Neonatal do Hospital da Mulher Percy Boland. O padre (Enrique Jordá) me perguntou se podia ser o padrinho da pequena e aceitei em meu próprio nome, mas também em nome de todos os que estão rezando por Victoria e por aqueles que doam generosamente os seus esforços para defender a vida de todos os nascituros em nosso país. Eu sou, por isso, o padrinho de Victoria! Confesso que, por causa do seu nascimento prematuro, pensei que estaria muito mais quietinha, mas Victoria se mexia e o movimento é vida; podemos ver a guerra que ela está lutando porque quer viver!”.

No dia seguinte ao batismo, Bazán acrescentou que uma tia da jovem mãe tinha se prontificado a assumir os cuidados da bebê.

“Hoje falei com Rosmery, a tia que quer assumir a Victoria. Fiquei feliz em conhecê-la. Ela agradece pelas orações de todos vocês em favor da saúde de Victoria e tem a fé de que ela vai superar essa etapa delicada. Pude ver que ela tem sentimentos muito nobres. Eu me coloquei à disposição para o que ela precisar. Acho que a beleza disso tudo é que a Victoria ganhou o carinho de todos. É incrível ver tantas pessoas querendo ajudar. Tenho certeza de que, quando a Victoria vencer esta etapa, acharemos todos juntos o jeito de garantir que não falte nada a ela, começando pelo amor”.

Ele ainda esclareceu que as ajudas se estendem à menina-mãe, cujo nome tem sido mantido em sigilo por respeito à sua privacidade:

“Estamos acompanhando, com todos os meios necessários, a menor que foi vítima de estupro”.

São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.