Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Cadastre-se e receba Aleteia diretamente em seu email. É de graça.
Receber

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Como ser sincero sem ser agressivo

Compartilhar

Lições de assertividade e respeito ao próximo

Muitas pessoas não sabem como lidar com seus sentimentos; confundem sinceridade com agressividade e acabam dizendo o que pensam, sem perceber a forma como o fazem. 

Essas pessoas consideram que tomar cuidado com o jeito de falar seria hipocrisia ou falta de transparência. 

No entanto, aí mora uma grande confusão que delata o analfabetismo emocional de nosso tempo. Porque quem age dessa maneira costuma carecer de empatia e se justifica com o argumento da sinceridade: “vou direto ao ponto, não dou voltas”. Se o outro se ofender, problema dele. 

Quem pensa assim não consegue enxergar sua falta de respeito para com os demais – nem sua falta de sensibilidade, pois é incapaz de controlar os impulsos ou de medir o impacto de suas palavras. Acham que os outros têm que suportar sua “sinceridade”, que, na realidade, é uma forma de agressividade autojustificada. Porém, nem sempre esse tipo de pessoa é consciente do que está fazendo – e vive dessa forma com naturalidade. 

Mas quando alguém tem que dizer a verdade, não deve pensar só nas palavras a utilizar, mas também na forma e no tom, pois tudo comunica e a mesma verdade pode ser vista de muitas formas. O respeito para com os outos exige limites. Como ser sincero sem faltar com respeito e sem ser agressivo? Isso é algo que pode ser aprendido e se chama assertividade.

O que é assertividade? 

Assertividade é uma habilidade social, uma forma de nos comunicarmos mais satisfatoriamente com os outros. É a habilidade pessoal de comportamento que nos permite expressar e defender nossas opiniões, pensamentos e sentimentos de forma adequada e no momento oportuno, respeitosamente e sem negar os direitos das outras pessoas. Assertividade é saber expressar os sentimentos e desejos de forma clara, eficaz, sem vergonha e com consideração ao outro. 

Normalmente, caímos em dois extremos por falta de assertividade: na passividade, que se deixa avassalar pelos outros, ou na agressividade, que fere os outros. 

As pessoas assertivas não se deixam manipular emocionalmente, têm autoestima elevada e são capazes de expressar o que querem e o que não querem com liberdade, calma e segurança. Inclusive quando os outros têm condutas impróprias, as pessoas assertivas são capazes de responder sem violência, com palavras justas e sem perder a calma. 

Pessoas assertivas conhecem seus direitos e os defendem, respeitando os direitos dos demais. Conseguem falar olhando nos olhos de seus interlocutores, sem a necessidade de se mostrar desafiadoras. Sabem demonstrar honestidade tanto para expressar sentimentos e ideias, quanto para reconhecer os próprios erros. Entretanto, não devemos confundir assertividade com egoísmo e insensibilidade. 

Assertividade pode ser desenvolvida 

A assertividade não é um traço da personalidade com que nascemos. Podemos aprender a ser assertivos ao longo da vida. Por se tratar de uma conduta aprendida, podemos modificá-la e melhorá-la, pois sempre é tempo de melhorar. 

Um bom começo é reconhecer, entre outras coisas, que todos temos o direito de sermos tratados com respeito e dignidade e a expressar os nossos sentimentos e nossas ideias. Temos o direito de dizer “não” sem culpa. Temos o direito de mudar de opinião, de nos sentirmos inseguros, de errar, de não saber tudo, de descansar, de aproveitar a vida. Respeitarmos nós mesmos e os outros exige tomar consciência de que nem sempre é preciso prestar conta de tudo a todo mundo. Isso é liberdade interior e maturidade emocional. 

É muito importante reconhecer que os assertivos têm menos ansiedade e estresse, assim como se sentem melhor consigo mesmos e geram um melhor clima organizacional ou familiar. 

Alguns passos para sermos mais assertivos 

É muito importante nos conhecermos e identificarmos a forma como nos comunicamos. Como agimos diante de um conflito? Como nos expressamos? Levamos os outros em consideração? 

É preciso clareza na comunicação. Para isso, é preciso saber o que se quer comunicar para poder dizer claramente. Antes de falar, é preciso saber o que se quer dizer. Juntamente com a clareza, é importante ser concreto e conciso para não confundir os outros. 

Por outro lado, é fundamental entender o outro lado. Precisamos ser capazes de interpretar o outro adequadamente e não ficar apenas na superfície. Por que tal pessoal age de tal forma? Quais são suas verdadeiras motivações? Como ela pensa? Ser educado com o outro é também levar em conta a sua sensibilidade. 

Outra dica: aprenda a ouvir com atenção o que o outro diz. Busque com ele opções para sair de um conflito. Não se esqueça de que nós nos relacionamento com pessoas, não com problemas. O outro é alguém, não algo. 

Finalmente, é muito importante aprender a lidar com as próprias emoções durante um conflito contínuo, sem deixar de responder com correção e respeito. 

 

 

Boletim
Receba Aleteia todo dia
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.