Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Alimente o seu espírito. Receba grátis os artigos da Aleteia toda manhã.
Inscreva-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Não tenha medo da perfeição: você nunca vai atingi-la

Compartilhar

Quando o perfeccionismo supera os limites gera-se um grande mal estar interior

Você sempre quer fazer as coisas tão bem que, no fim, não faz nada? Revisa, refaz, tenta melhorar uma e outra vez, mas nunca está bom? Aí prefere deixar tudo de lado, já que você acha que não consegue fazer nada com perfeição? 

A tendência a melhorar tudo indefinidamente chama-se perfeccionismo patológico. 

As pessoas com excessiva motivação ao sucesso tentam se superar de maneira insaciável, buscando a excelência. Mas nunca conseguem atingi-la. Como consequência, geram uma grande insatisfação pessoal e também nos que se relacionam com o perfeccionista. Por isso, com baixo rendimento, a tendência é a procrastinação.  

Características do perfeccionista patológico 

  • Não consegue trabalhar em equipe – seja no emprego, na família ou nas comunidades. Ele não aceita a diversidade e sempre tem o foco no erro e no que está faltando;
  • não consegue confiar nas pessoas. Provavelmente, o perfeccionista vem de uma família exigente e rígida que sempre o pressionou para melhorar;
  • sempre está frustrado. O perfeccionista patológico sente que os outros sempre podem fazer melhor do que ele e se culpa por isso. 
  • tem hipersensibilidade à crítica e não consegue enfrentar o erro, já que se sente pressionado constantemente. 

O que fazer se você é muito perfeccionista? 

  • Identificar e reconhecer o que está acontecendo. Se você acha que é perfeccionista, pense em quantas coisas que você fez e que são realmente perfeitas. Pense também em quais delas não há erros ou falhas. Se você encontrar coisas para melhorar, talvez a perfeição não exista e você tenha que avaliar se vale a pena perder tanto tempo se esforçando para atingir a perfeição;
  • Refletir sobre o que você está perdendo por tentar fazer as coisas perfeitamente. Talvez você tenha deixado de passar um tempo com seus amigos, sua família e conhecer gente nova por tentar fazer as coisas nos mínimos detalhes. Será  que vale à pena? 
  • Procurar outras motivações. É muito importante buscar alternativas que te compensem, pois, ao contrário, você pode cair na mesma sensação de insatisfação. Por exemplo: ser consciente de que o trabalho poderia ter sido mais bem feito, mas você decidiu deixá-lo para poder aproveitar com os amigos. 

Buscar sempre a nota 10 só vai fazer você ficar no meio do caminho. Experimente outras vias para que você se sinta melhor, renda mais e aproveite o que até agora você não se permitiu. E se vir que sua “necessidade” de perfeição continua sem controle, procure um especialista. 

Leia também: Você é perfeccionista? Durma em paz todos os dias após rezar esta oração

Boletim
Receba Aleteia todo dia
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.