Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sexta-feira 27 Novembro |
São Máximo de Lérins
home iconHistórias Inspiradoras
line break icon

Estudantes surpreendem professora com câncer

PENCILS

Dolors Massot-ALETEIA

Dolors Massot - publicado em 18/06/19

Uma professora explica como a relação com um grupo de adolescentes a levou a lutar contra a dor e a doença

“Desde pequena sonhava ser professora de língua castelhana”.

Irene (nome fictício) é professora – dessas de quem nenhum aluno se esquece, mesmo que passem muitos anos.Ela fez faculdade e começou a trabalhar em escolas. Paralelamente, casou-se e teve uma filha.

“O trabalho atual é em um instituto, com adolescentes. É emocionante, atraente, intenso e gratificante”, diz ela. E onde os outros veem uma problema ou uma dificuldade, ela enxerga pessoas para amar e educar, a fim de que elas tenham o melhor futuro possível. Irene ama seus alunos e isso faz com que ela, além de transmitir conhecimentos, tente fazê-los atingir o crescimento intelectual e espiritual.

Um câncer sem cura

Irene foi diagnosticada com um tumor metástico em 2009. Ela tinha 33 anos e sua filha, 3. A operação e o tratamento deixaram o câncer “adormecido”. Mas em 2016, o tumor reapareceu – desta vez com metástases em todos os ossos. Voltaram os tratamentos, as dores, a queda de cabelos. Em 2017, uma nova recaída, com metástases também no fígado.

Mas Irene sabia que tinha que lutar pelo marido, pela filha e por seus alunos. E já se vão três anos entre as sessões de quimioterapias, as aulas e até viagens a estudo. Ela, inclusive acompanhou os alunos em uma excursão a Paris.

Em seu testemunho para a Aleteia, ela disse: “faço sessões semanais de quimioterapia para tentar freiar o avanço da doença e para que ela não se apodere do meu corpo – ao menos não tão rapidamente”.

De onde tira forças?

“Junto com cada sessão de quimio, meu tratamento vai acompanhado por minha FÉ [ela escreve esta palavra com letras maiúsculas] e a de todos que me rodeiam. Entramos na capela do hospital toda vez que vou para lá. Pedimos, agradecemos ou simplesmente sossegamos nosso espírito e buscamos a paz necessária para enfrentar o dia”.

“A fé e a quimio me dão vida”

Irene explica: “essa fé e essa quimio me dão vida. E essa vida é a que eu tento transmitir aos alunos, meninos de 13 a 16 anos que nem sempre têm claros os verdadeiros valores. Tento mostrar-lhes a grandeza da vida, a importância da saúde, a efemeridade da beleza na Terra e como devemos dar amor, carinho e apoio aos que nos cercam”.

“Dei aulas careca”

“Dei aulas careca, com lenço, sem cílios nem sobrancelhas, inchada por causa do tratamento, com quilos a mais devido à cortisona. Mas dei aulas cheia de FÉ, cheia de AMOR e de ALEGRIA”.

Na semana passada, os alunos comemoram o fim do curso. Estavam presentes seus pais, familiares e amigos. Deixaram de lado os uniformes e estavam quase irreconhecíveis com seus melhores trajes.

No discurso, duas alunas representaram a turma e disseram:

“Queremos agradecer por tudo o que você fez por nós durante este ano, tanto por nos ter ensinado a analisar textos, sintaxe, quanto por nos motivar a sermos boas pessoas”.

“Você é uma mulher única”

“Você é uma mulher única e um exemplo a ser seguido. Lutadora e vencedora. Uma mulher que nos mostrou o quão fortes e corajosos podemos ser. Embora possamos cair, levantaremos mil vezes. De tudo, tira-se algo bom. De você, ficamos com seu sorriso e sua maneira de ser, com a felicidade que nos transmitia toda vez que entrava na classe”.

Irene quis dar um presente especial no último dia de curso. Pegou alguns lápis e adicionou uma mensagem especial para cada aluno. Foram frases como as que as mães dizem quando um filho sai de viagem: “nunca desista”, “você é único”, “chegará muito longe”, “você é incrível”…

Um pequeno detalhe que, sem dúvida, todos guardarão na memória e no coração.




Leia também:
A homenagem a um professor que emocionou o mundo inteiro

Tags:
CâncerEsperançaSuperação
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Jesús V. Picón
Padre com câncer terminal: perde os olhos, ma...
Papa Francisco com máscara contra covid
Reportagem local
As 3 “covids” do Papa Francisco
MARADONA
Pablo Cesio
Pelé sobre Maradona: "Espero que um dia jogue...
WEB2-COMMUNION-EUCHARISTIE-HOSTIE-GODONG-DE354465C-e1605635059906.jpg
Reportagem local
Internado na UTI, Pe. Márlon Múcio continua c...
John Burger
A melhor maneira de contar a seus filhos a ve...
MARYJA
Philip Kosloski
A melhor oração mariana para quando você prec...
POINSETTIAS,CHRISTMAS,ALTAR
A. J. Clishem
O segredo do grau de inclinação da cabeça de ...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia