Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Receba diretamente no seu email os artigos da Aleteia.
Cadastrar-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Aumento da taxa de suicídio preocupa o mundo

DEPRESSION
Photographee.eu - Shutterstuck
Compartilhar

Relatório publicado nos EUA diz que situação é a pior desde a Segunda Guerra Mundial

As taxas de suicídio nos Estados Unidos continuam mostrando uma tendência preocupante de crescimento, de acordo com novos dados divulgados nessa quinta-feira, indicando um aumento significativo entre 1999 e 2017.

A taxa geral de americanos tirando suas próprias vidas cresceu 33% nesse período de 18 anos, de acordo com uma pesquisa anual publicada pelo Centro Nacional de Estatísticas de Saúde dos EUA para o Controle e Prevenção de Doenças. Entre as pessoas de 15 a 64 anos, a taxa aumentou de 10,5 por 100.000 pessoas em 1999 para 14 por 100.000 em 2017, o ano mais recente com dados disponíveis, informou a CNN.

Aqueles que se identificaram como índios americanos ou nativos do Alasca tiveram o maior aumento. As mortes por suicídio entre meninas e mulheres aumentaram significativamente para todos os grupos raciais e étnicos, exceto asiáticos ou das ilhas do Pacífico.

O maior aumento foi entre meninas e mulheres indígenas ou nativas do Alasca, com 139% de crescimento, observou a CNN. Entre meninos e homens, as taxas de suicídio aumentaram significativamente para todos os grupos raciais e étnicos, com exceção dos asiáticos ou das ilhas do Pacífico, com o maior aumento observado entre meninos e homens índios americanos ou nativos do Alasca (71%).

No geral, os adolescentes índios americanos ou nativos do Alasca e os adultos de 15 a 44 anos tiveram as maiores taxas de suicídio para homens e mulheres em 2017, segundo a pesquisa.

As taxas de suicídio têm mostrado tendências preocupantes já há alguns anos. No ano passado, vários Estados do centro americano – Idaho, Utah, Dakota do Norte e Kansas – e dois Estados de New England – Vermont e New Hampshire – registraram aumentos surpreendentes entre 43,2% e 57,6% entre os anos de 1999 e 2016.

Mas o relatório deste ano observa que as taxas estão no nível mais alto desde a Segunda Guerra Mundial. Um estudo separado divulgado esta semana, do Journal of American Medical Association, mostra um aumento significativo nas taxas de suicídio entre jovens de 15 a 24 anos entre 2000 e 2017. Disse a CNN:

Esse estudo descobriu que entre 15 e 19 anos, a taxa de suicídio era de 8 por 100.000 pessoas em 2000 e aumentou para 11,8 por 100.000 em 2017, e entre os jovens adultos de 20 a 24 anos, a taxa de suicídio era de 12,5 por 100.000 pessoas em 2000 e aumentou para 17 por 100.000 em 2017.

São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.