Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Alimente o seu espírito. Receba grátis os artigos da Aleteia toda manhã.
Inscreva-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Superior geral de congregação religiosa é assassinado na África

Compartilhar

O pe. Norbert é o décimo primeiro sacerdote católico assassinado no continente nestes primeiros meses de 2019

Foi assassinado em Uganda no último dia 3 de julho, por um estudante universitário, o pe. Norbert Emmanuel Mugarura, de 47 anos, superior geral dos Irmãos de São Carlos Lwanga, congregação religiosa fundada no país em 1927.

O assassino é o estudante Robert Asiimwe. Ele foi identificado e preso depois de contratar um serviço de coleta de lixo em sua casa: o prestador do serviço descobriu que o alegado “lixo” era o cadáver do sacerdote, que apresentava sinais de estrangulamento. Segundo as primeiras informações divulgadas, o assassino queria roubar o carro que o sacerdote estava dirigindo.

O pe. Norbert Emmanuel Mugarura tinha sido eleito superior geral da sua congregação em 27 de janeiro, tendo exercido a missão durante apenas 158 dias.

Ele é o décimo primeiro sacerdote católico assassinado na África nestes primeiros meses de 2019.

Leia também: Assassinados padre que ajudava cegos e freira que ensinava jovens pobres

Porta-voz da congregação, o irmão Charles Dominic Kagoye declarou à imprensa:

“Ele era um verdadeiro servo de Deus. Mesmo no dia fatal, a morte o encontrou no cumprimento do dever”.

O santo a quem a congregação é dedicada, São Carlos Lwanga, é um mártir ugandês de grande relevância para a história da Igreja em terras africanas. Ele não nasceu católico: membro da tribo Baganda, ouviu falar do cristianismo pela primeira vez graças a pessoas da corte do rei Mawulugungu. Depois da morte deste, tornou-se pajem na corte do novo rei, Mwanga II, que começou a perseguir ferozmente os cristãos. Lwanga viu o chefe dos pajens ser martirizado e, fortalecido pelo seu exemplo, pediu o batismo. Logo depois, ele próprio foi preso e morto por causa da fé em Cristo.

Leia também: 4 santos (canonizados ou em processo) que não nasceram católicos

Boletim
Receba Aleteia todo dia
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.