Aleteia

Irmã Lúcia, de Fátima: “Rosário e escapulário são inseparáveis”

Fátima escapulário rosário
CC
Compartilhar

“O Santo Padre o confirmou a todo o mundo, dizendo que o escapulário é sinal de consagração ao Imaculado Coração. Ninguém pode discordar”

Lúcia, uma das três crianças que testemunharam as aparições de Nossa Senhora de Fátima em 1917 e que depois se tornou religiosa carmelita, revelou que, na última aparição, em 13 de outubro daquele ano, a Virgem Maria se manifestou como Nossa Senhora do Carmo, fazendo-a concluir que “o escapulário e o rosário são inseparáveis”.

O relato publicado pelo site da Ordem do Carmo em Portugal informa que, naquele 13 de outubro de 1917, a Santíssima Virgem Maria cumpriu a promessa feita aos três pastorinhos no mês anterior: após a sua aparição, as crianças também viram São José e o Menino Jesus e, na sequência, a mesma Virgem Santíssima voltou a se apresentar a eles como Nossa Senhora das Dores e, em seguida, como Nossa Senhora do Carmo.

O fato foi narrado pela própria irmã Lúcia em setembro de 1949 ao padre carmelita Donald O’Callaghan, que a tinha visitado porque, segundo ele mesmo, “estava particularmente interessado em saber qual era o lugar do Escapulário do Carmo nas aparições de Fátima“.

A freira disse ao sacerdote que Nossa Senhora nada falara em específico do escapulário, mas lhe dissera que “viria como Nossa Senhora do Carmo; a sua interpretação era que a devoção do escapulário agradava a Nossa Senhora e que ela desejava a sua propagação“.

Ao perguntar à vidente “se ela pensava que a devoção do escapulário fazia parte da mensagem de Fátima“, o padre carmelita ouviu dela que “o escapulário e o rosário são inseparáveis“, já que “o escapulário é o sinal da consagração a Nossa Senhora“.

No ano seguinte, em 11 de fevereiro, o Papa Pio XII convidou os fiéis a “colocarem em primeiro lugar, entre as devoções marianas, o escapulário que está ao alcance de todos“. No mesmo ano, durante a festa da Assunção de Nossa Senhora, a irmã Lúcia voltou a falar da aparição de Nossa Senhora do Carmo e a mencionar o escapulário ao pe. Howard Raffterty, também carmelita.

Segundo o sacerdote, a vidente reforçou que, “em muitos livros sobre Fátima, os autores não dão o escapulário como parte integrante da mensagem. Ah, fazem mal: Nossa Senhora quer que todos usem o escapulário“.

A religiosa acrescentou:

“Agora já o Santo Padre o confirmou a todo o mundo, dizendo que o escapulário é sinal de consagração ao Imaculado Coração. Ninguém pode discordar”.

E reafirmou:

Sem dúvida, o terço e o escapulário são inseparáveis“.

______________

A partir de matérias de ACI DigitalCanção Nova

Boletim
Receba Aleteia todo dia