Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Cadastre-se e receba Aleteia diretamente em seu email. É de graça.
Receber

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

4 comportamentos surpreendentes dos bebês dentro do útero

PREGNANT WOMAN LYING IN BED
By Syda Productions | Shutterstock
Compartilhar

Nada de vida fácil; são 9 meses de muito trabalho

Quando você pensa em um bebê dentro do útero, certamente vem a imagem dele  flutuando pacificamente lá dentro, num estado de sonho profundo, apenas esperando para nascer, antes que seu verdadeiro trabalho comece.

Afinal de contas, ele ainda nem usou seus pulmões ou aprendeu a organizar um mundo de formas, cores e objetos significativos.

O que pouca gente sabe é que o bebê trabalha enquanto espera para nascer. À medida que a gravidez evolui, a diferença entre o feto e o recém-nascido fica cada vez menor.

É útil lembrar que, no terceiro trimestre, o bebê é tão curioso, ativo e envolvido em seu ambiente quanto o será como um recém-nascido. Seu ambiente pode ser mais limitado que o mundão aqui fora, mas ele tem muito a aprender e a fazer lá dentro. Veja:

1
Chutes não são apenas por diversão

Um bebê no terceiro trimestre de gestação (especialmente antes de ficar sem espaço para manobras dentro da mãe) pode chutar com até 47 quilos de força. Esse chute está fortalecendo seus músculos, mas faz mais do que isso, como relata o site Motherly: “Chutes e movimentos estimulam interações moleculares, que induzem as células e os tecidos do embrião a construir um ‘esqueleto funcionalmente robusto, mas maleável’. Isso significa que o chute pode estar dizendo ao corpo que ele precisa ter um osso coberto de cartilagem na articulação ou é um sinal para aumentar a força dos ossos”. É um verdadeiro treino de força.

2
Praticando habilidades

O bebê também trabalha duro para praticar as habilidades que o ajudarão a se manter seguro quando nascer. Por volta das 20 semanas, bebês no útero podem chorar – em silêncio – quando estão assustados. Sua mãe não pode consolá-lo no momento, mas é a maneira mais importante que que ele tem de chamar a atenção para as suas necessidades. Ele também aprende a se acalmar chupando o dedo, um hábito que o ajudará a aprender a amamentar e a estabelecer um vínculo estreito com a mãe.

3
Obter informações sobre o mundo fora do útero

O bebê também trabalha duro para receber informações sobre o mundo fora do útero, para que, quando nascer, tenha uma vantagem inicial. Ele começa a reconhecer a linguagem da mãe, acostuma-se com certos sons e reconhece padrões: se você estiver tocando a mesma música todos os dias, ele adorará ouvir quando nascer.

4
Aprender a se alimentar

Só porque o cordão umbilical do bebê está fazendo seu trabalho, não significa que ele não esteja se esforçando para se preparar para aprender a comer. Já com 16 semanas, ele estará se acostumando com alguns dos sabores mais comuns na dieta da mãe. Mais tarde, os mesmos sabores que o bebê sentiu no líquido amniótico serão reconhecidos no leite materno. E ele está aprendendo a engolir, enquanto bebe o líquido que o cerca.

É engraçado. Por mais que esses bebês saibam sobre nós, não sabemos muito sobre eles. Estamos nos preparando também, é claro. O corpo da mãe está se preparando para dar ao bebê tudo o que ele precisa: seus instintos de nidificação vieram à tona, seu corpo está produzindo leite … mas de certa forma, ela está esperando mais passivamente do que o bebê para o encontro entre eles.

São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.