Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quarta-feira 25 Novembro |
São Pedro Yi Ho-Yong
home iconReligião
line break icon

Menina cristã raptada é forçada a se converter ao islã e se casar com o raptor

CHRZEŚCIJANIE W PAKISTANIE

AFP/EAST NEWS

Reportagem local - publicado em 31/07/19

Ela ainda foi obrigada a declarar a um tribunal que agiu por conta própria e que tem 19 anos, o que foi desmentido por seus próprios pais

A menina cristã paquistanesa Benish Imran, de 14 anos, foi sequestrada e obrigada pelo sequestrador a se converter ao islamismo e a se casar com ele. Além disso, foi também forçada a declarar perante um tribunal que agiu por conta própria e que tem 19 anos, o que foi desmentido por seus próprios pais e por representantes do CLAAS (Centre for Legal Aid, Assistance and Settlement), organização que oferece apoio jurídico gratuito às vítimas de intolerância religiosa no Paquistão. O caso foi denunciado por eles neste último 25 de julho, acrescido de denúncias de ameaças de morte contra a jovem e contra a sua família.

Benish foi sequestrada em 2 de julho pelo muçulmano Waheed Ahmed. No dia seguinte, o pai de Benish, Imran Masih, denunciou o desaparecimento da filha. Passados alguns dias, a polícia avisou a ele que existe uma certidão de conversão e de casamento da jovem, que “compareceu perante o magistrado do distrito de Lahore para registrar a sua declaração”.

Em audiência, o advogado da família de Benish apresentou a sua certidão de nascimento verdadeira, com a data de 8 de outubro de 2005, demonstrando a sua minoridade e enfatizando que, por ser menor, ela não deveria ter se casado “nem mesmo por vontade própria”, conforme a lei paquistanesa a esse respeito. Diante dos fatos, o advogado pediu que a declaração da jovem não fosse registrada, mas tal pedido não foi acatado pelo juiz.

Fenômeno crescente

Segundo a CLAAS, é comum que meninas do país apresentem falsas declarações sob ameaças de morte feitas por seus sequestradores e pelas famílias deles. O diretor da entidade, Nasir Saeed, declarou à agência Asia News:

“Nos últimos meses, dezenas de mulheres e adolescentes foram sequestradas e convertidas à força ao islã. O número continua crescendo. É normal que a família da menina receba ameaças de morte, então não há outra opção a não ser dizer ao juiz o que o sequestrador mandou. Por outro lado, assim que surge a primeira oportunidade, elas tentam escapar”.

Além de jovens cristãs, também meninas hinduístas sofrem esses abusos. Durante visita do primeiro-ministro paquistanês Imran Khan aos Estados Unidos, ativistas cristãos e hindus se uniram para protestar contra a onda de sequestros em seu país natal. Nasir Saeed, porém, observa:

“O governo não dá atenção a eles”.

A polêmica legislação “anti-blasfêmia”

País oficialmente islâmico, o Paquistão mantém vigente a assim chamada “legislação anti-blasfêmia“, que prevê rigorosas punições a qualquer pessoa que insulte Alá, o islã, o alcorão, Maomé e outras personalidades religiosas do islamismo. As sentenças podem incluir de chibatadas até a pena de morte.

Organizações de defesa de direitos humanos denunciam há anos que estas leis costumam ser amplamente manipulada para atender a interesses pessoais, o que inclui vinganças de todo tipo, inclusive contra outros muçulmanos. É frequente que a minoria cristã no país seja alvo de acusações de blasfêmia, contra as quais é quase impossível defender-se. Os abusos são facilitados porque até testemunhos sem provas são aceitos pelos tribunais.

O caso de maior repercussão mundial envolvendo as leis paquistanesas anti-blasfêmia foi o de Asia Bibi, mãe cristã acusada de insultar o profeta Maomé em 2010. Ela passou quase dez anos no corredor da morte, aguardando, presa, o julgamento de um recurso. Asia Bibi só foi libertada, neste ano, graças à implacável pressão internacional de grupos cristãos. Mesmo assim, esteve a ponto de ser executada.


Asia Bibi

Leia também:
9 anos no inferno à espera do enforcamento pelo crime de ser católica




Leia também:
Vaticano denuncia: atual perseguição anticristã chega a níveis de “genocídio”

Tags:
MuçulmanosPerseguição
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
MARYJA
Philip Kosloski
A melhor oração mariana para quando você prec...
pildorasdefe.net
Por que você não vai para frente? Talvez este...
Medalha de São Bento
pildorasdefe.net
Oração a São Bento para afastar o mal e pedir...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Reportagem local
Oração para afastar o mal de um recinto
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
FATHER PIO
Maria Paola Daud
Quando Jesus conversou sobre o fim do mundo c...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia