Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Newsletter Aleteia: uma seleção de conteúdos para uma vida plena e com valor. Cadastre-se e receba nosso boletim direto em seu email.
Registrar

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Santo Sudário: exame com carbono 14 que o datava como medieval estava errado

Compartilhar

Novo estudo foi publicado pela Universidade de Oxford – uma das três entidades que tinham feito a análise anterior

A Universidade de Oxford publicou em seu periódico Archaeometry, em março deste ano, um estudo realizado por pesquisadores franceses e italianos que reanalisaram os dados de uma polêmica e famosa pesquisa anterior: aquela que, em 1988, tinha concluído que o Santo Sudário de Turim seria uma fraude histórica. De acordo com a pesquisa de 31 anos atrás, realizada por equipes da Universidade do Arizona, do Instituto Federal Suíço de Tecnologia e da própria Universidade de Oxford, o sudário não seria da época de Cristo, mas teria sido confeccionado mais de um milênio após a Sua morte, em algum período entre 1260 e 1390.

A nova equipe de pesquisadores conseguiu na justiça o acesso aos dados da Universidade de Oxford relativos ao estudo anterior. Depois de revisá-los durante dois anos, o grupo anunciou que o estudo de 1988 continha falhas relevantes, principalmente por não ter analisado o sudário inteiro, mas apenas alguns fragmentos das bordas – justamente as partes que, na Idade Média, tinham sido restauradas para reparar danos provocados por incêndios e intempéries.

Tristan Casabianca, da equipe responsável pelo novo estudo, afirmou em entrevista ao periódico francês L’homme nouveau que os dados brutos de 1988 demonstraram que as amostras então analisadas eram heterogêneas, o que invalida os resultados. Os pesquisadores consideram que novos estudos precisam ser feitos para se estimar a datação correta. Para tanto, o Vaticano teria que voltar a permitir o acesso de estudiosos ao Sudário.

O Santo Sudário de Turim é uma peça de linho venerada por milhões de católicos do mundo inteiro como sendo o tecido que envolveu o Corpo de Cristo após a Sua morte na Cruz. O sudário preserva inexplicavelmente uma espécie de “impressão” dos traços físicos de um homem de 1,83m de altura, com feridas compatíveis com as que foram infligidas a Jesus em Sua Paixão.

Vários estudos recentes têm corroborado a autenticidade do Santo Sudário. Confira alguns deles:

Leia também: Sem credibilidade estudo que define metade das manchas do Sudário como falsas

Leia também: Probabilidade de o Santo Sudário ser falso: 1 em 225 bilhões!

Leia também: Manchas do Santo Sudário são do sangue de alguém que sofreu morte violenta

Leia também: Assim era Jesus: o misterioso Homem do Sudário, reconstruído em 3D

Boletim
Receba Aleteia todo dia
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.