Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Newsletter Aleteia: uma seleção de conteúdos para uma vida plena e com valor. Cadastre-se e receba nosso boletim direto em seu email.
Registrar

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

As duas mensagens que precisamos enviar para nossas filhas adolescentes

Compartilhar

Como podemos ajudar as meninas a enfrentar uma das maiores pressões nessa fase da vida

Algumas semanas atrás, eu estava envolvida em uma longa conversa de texto com uma amiga que é ministro da juventude. Ela falou sobre problemas da adolescência e fiquei surpresa quando ela disse: “Eles já não podem ser crianças. São criados para ser pequenos adultos… e não são felizes assim, e já estão se esgotando.”

Eu ouvi outros dizerem a mesma coisa. Nesta sociedade acelerada, há aparentemente pouco tempo para os adolescentes serem apenas adolescentes.

Assim, há duas mensagens principais que as filhas adolescentes precisam ouvir dos pais.

Elas precisam da nossa aceitação para desacelerar e ser imperfeitas

As meninas estão sentindo extrema ansiedade com muito mais frequência do que qualquer jovem deveria.

Em uma cultura onde todos os recursos estariam ao alcance de um clique, a pressão para executar impecavelmente todas as tarefas está ficando cada vez maior.

Pessoalmente, tenho ficado surpresa com essa ansiedade sem fim entre adolescentes hoje. Um recente artigo no New York Times sobre a ansiedade severa entre adolescentes americanos mostra que os jovens estão passando momentos difíceis.

Então, como os adultos podem ajudar? Esses adolescentes ansiosos estão precisando de alguma garantia de que não conquistar 110% por cento não é igual a fracasso.

Dê tempo para eles amadurecerem. Só porque eles estão sendo tratados como adultos, não significa que tenham capacidade de processar e pensar como adultos.

É fácil esquecer que os cérebros dos adolescentes ainda não funcionam como o de adultos maduros.

Adolescentes exigem muito mais paciência, reafirmação e encorajamento à medida que se familiarizam com o mundo ao seu redor e com o seu lugar no mundo. O que eles mais precisam de nós é a validação, e especialmente nos momentos em que eles não se destacam.

Dê-lhes tempo para lutar, e em um ambiente amoroso e carinhoso e não exija que eles sejam perfeitos.

Mostre-lhes como viver a fé

Não é nenhum segredo que os adolescentes precisam de fé tanto quanto os adultos. Primeiramente, certifique-se de que você está vivendo uma fé autêntica. Seus filhos estão sempre assistindo.

Se queremos que nossos filhos aprendam a se apoiar em Jesus, eles precisam nos ver fazendo isso

Daí vem a base do seu relacionamento pessoal e íntimo com Cristo. Seus filhos provavelmente terão algumas perguntas, até mesmo dúvidas sobre Cristo e sua Igreja. Isso é normal. Então não a feche ou reaja por medo. Ouça. Descubra o porquê da pergunta.

Mesmo quando nossos adolescentes nos apresentam perguntas ou dúvidas que nos deixam confusos, é uma oportunidade de buscar respostas juntos. Seja humilde e honesto se você não souber as respostas.

O seu amor por seus filhos permitirá que eles entendam as profundezas com que Deus os ama de forma incondicional.

São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.