Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Newsletter Aleteia: uma seleção de conteúdos para uma vida plena e com valor. Cadastre-se e receba nosso boletim direto em seu email.
Registrar

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Sabia que São Francisco tinha um animal “menos favorito”?

St. Francis
Compartilhar

Até mesmo o santo padroeiro dos animais não gostava muito desse pequeno bicho

São Francisco de Assis é conhecido como amante e padroeiro dos animais. Ele pregava para os pássaros, domou um lobo selvagem e conversava com qualquer animal que queria ouvi-lo.

No entanto, de acordo com um livro do século XIV chamado “Florinhas de São Francisco”, ele não gostava muito de um animal em particular.

O autor medieval começa por proclamar um dogma comum da espiritualidade franciscana: “Tomemos exemplo das feras e dos pássaros que, quando recebem sua comida, ficam contentes e buscam apenas o que precisam de hora em hora; contentar-se com o que mal é suficiente para suprir suas necessidades, sem pedir mais nada. ”

O autor explica: “O irmão Giles disse que São Francisco amava menos as formigas do que qualquer outro animal, por causa do grande cuidado que elas tomam no verão de reunir e armazenar um estoque de grãos para o inverno, mas que ele disse que ele amava os pássaros muito mais, porque eles não reuniam nada de um dia para o outro ”.

Deste ponto de vista franciscano, uma pessoa deve imitar as palavras de Jesus aos seus apóstolos:

“Portanto, eis que vos digo: não vos preo­cupeis por vossa vida, pelo que comereis, nem por vosso corpo, pelo que vestireis. A vida não é mais do que o alimento e o corpo não é mais que as vestes? 26.Olhai as aves do céu: não semeiam nem ceifam, nem recolhem nos celeiros e vosso Pai celeste as alimenta. Não valeis vós muito mais que elas?” (Mateus 6, 25-26).

Isso é perfeito para um franciscano que depende inteiramente de Deus para prover sua próxima refeição, mas pode não ser prático para uma família que precisa ter certeza de que seus filhos estão bem alimentados. Deus nos encoraja a trabalhar, e é louvável fazer tudo que podemos para ganhar o dinheiro que precisamos para sustentar nossa família.

No entanto, a mensagem central de Jesus é que devemos confiar em Deus, especialmente durante grandes momentos de provação, como a perda de um emprego ou dinheiro. Ele nos ama muito e proverá a comida de que precisamos. Isso não nos isenta de armazenar alimentos para quando os tempos ficam difíceis, mas nos assegura que Deus está no controle.

Mas a formiga nos dá um exemplo de que não devemos permanecer ociosos no verão desta vida presente, para que não sejamos encontrados vazios e sem frutos no inverno do último e final julgamento.

Mesmo que São Francisco não tenha gostado tanto de formigas elas fazem parte da criação de Deus e podem nos ensinar muitas lições importantes. Ele nunca disse que “odiava” formigas (como alguns  podem estar inclinados a pensar), mas ainda as admirava por seu papel na natureza.

 

Boletim
Receba Aleteia todo dia
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.