Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Segunda-feira 30 Novembro |
São Mirocletes
home iconAtualidade
line break icon

EUA deixam diálogo e estabelecem linha dura contra Venezuela

VENEZUELA

UNICEF/ECU/2018/Arcos (CC BY 2.0)

Agências de Notícias - publicado em 11/08/19

Maduro suspendeu as negociações com a oposição na quarta-feira em reação às medidas que congelaram os ativos do país nos Estados Unidos

O caminho para o diálogo ficou mais longo na Venezuela após o bloqueio econômico dos Estados Unidos, que buscam impor uma linha dura para expulsar Nicolás Maduro, sem apoiar uma negociação que dê sobrevida ao presidente ‘chavista’.

Maduro suspendeu as negociações com a oposição na quarta-feira em reação às medidas que congelaram os ativos do país nos Estados Unidos e limitaram severamente sua atividade comercial.

John Bolton, assessor de segurança do presidente Donald Trump, não deixou dúvidas sobre o objetivo: “O tempo para o diálogo já passou, agora é hora de agir”.

Washington pretende “assumir um papel de liderança e definir a agenda na Venezuela”, avaliou David Smilde, professor de sociologia e estudos latino-americanos da universidade americana de Tulane.

A Casa Branca, que lidera a pressão para tirar Maduro, perdeu protagonismo após a fracassada tentativa de golpe militar de abril liderada pelo opositor Juan Guaidó – a quem reconhece como presidente interino do país – e pelo início, em maio, do diálogo com a mediação da Noruega.

Embora a diplomacia americana alegue que apoia as negociações, o Conselho de Segurança Nacional (NSC) está comprometido com a “pressão máxima” para encerrar o governo de Maduro, diz Smilde.

Assim, com o bloqueio, Bolton e o NSC “afirmaram seu domínio na política da Venezuela”, acrescentou.

– Trump, “chefe da oposição” –

Maduro, com uma popularidade muito baixa, anunciou que irá rever a negociação que ocorre em Barbados e ameaçou punir os opositores que apoiarem o bloqueio, uma decisão que busca ganhar tempo para agir.

“Em Barbados estava buscando o fim das sanções, mas o que recebeu foi uma dose maior. Não será permitido um acordo de conciliação, a menos que ele aceite as eleições presidenciais com novas autoridades eleitorais e sem ele à frente, o que não seria um bom negócio para ele, porque sua ideia é permanecer no poder”, disse à AFP o cientista político Luis Salamanca.

Já Guaidó insiste que não negociará sem discutir a realização de novas eleições e que continuará jogando em todos os campos: o do diálogo, refutado por um setor opositor; o da pressão internacional, incluindo a cooperação militar dos Estados Unidos; e o da mobilização popular, que resfriou nos últimos meses.

“Cedo ou tarde eles voltarão a se sentar” na mesa de negociações, declarou Guaidó nesta quinta-feira nas redes sociais.

Para Guaidó, a retirada de Maduro do diálogo mostra a “má fé e a pouca seriedade” por parte do presidente na busca de um “mecanismo institucional” que detenha a grave crise na Venezuela.

“Trump está configurando como será a política venezuelana do futuro e, acima de tudo, como será a oposição do futuro. Agora é possível dizer que Trump é o líder da oposição com estas sanções”, destacou o cientista político Ricardo Sucre.

Para Salamanca, o diálogo pelo qual torcem a ONU e a União Europeia “enfraqueceu (com o bloqueio) e seu futuro dependerá dos cálculos feitos pelos atores, do que eles veem que podem conseguir”.

Oslo disse nesta quinta-feira que mantém contatos com ambas as partes para futuros encontros.

A alta comissária da ONU para os Direitos Humanosm Michelle Bachelet, que denunciou graves violações na Venezuela após uma visita a Caracas em junho, advertiu nesta quinta que o bloqueio ameaça “exacerbar” a crise.

– Intervenção militar? –

Por enquanto, Maduro ainda se apega à Força Armada, à qual conferiu poder amplo mas que está dividida, e aos seus aliados Rússia, China, Cuba e Irã, a quem Bolton emitiu um aviso: “Não dobrem uma aposta ruim”.

Mas em um novo respaldo a Caracas, Pequim pediu que Washington pare de “assediar” outros países, enquanto Moscou anunciou um acordo de gás com a Venezuela.

A medida que Trump aperta a corda para asfixiar Maduro, a quem acusa de ter sido reeleito de maneira fraudulenta, sua ameaça de intervenção militar perde força.

O estrangulamento econômico para forçá-lo a renunciar ou fazer com que os militares retirem seu apoio parece ser sua carta na contagem regressiva para buscar a reeleição em 2020.

“Há pouco ou nenhum movimento dentro do governo Trump para algum tipo de solução militar para o conflito”, disse Smilde, lembrando que esses movimentos nos Estados Unidos não são novos para a região.

“Essas ações por si só não são suficientes para inviabilizar as negociações de Barbados. Os Estados Unidos também tentaram atrapalhar o processo de paz na América Central nos anos 80 e tiveram sucesso. É fato que estão trabalhando de forma agressiva contra a negociação, mas isso pode despertar o apoio internacional para a mesa”, concluiu.

(AFP)

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
READING
Gelsomino Del Guercio
3 regras fundamentais para os leitores da mis...
Aleteia Brasil
Oração do Advento
SANTUÁRIO DE APARECIDA INTERIOR BASÍLICA
Reportagem local
Suposto surto de covid-19 entre padres do San...
Jesús V. Picón
Padre com câncer terminal: perde os olhos, ma...
OLD WOMAN, WRITING
Cerith Gardiner
A carta de uma irlandesa de 107 anos sobre co...
FIRST CENTURY HOUSE AT THE SISTERS OF NAZARETH SITE
John Burger
Arqueólogo diz ter encontrado a casa onde Jes...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia