Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Newsletter Aleteia: uma seleção de conteúdos para uma vida plena e com valor. Cadastre-se e receba nosso boletim direto em seu email.
Registrar

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Todos os pais merecem uma declaração de amor

SUMMER FUN
Shutterstock
Compartilhar

Além de nosso genitor e de Deus, temos ao lado pessoas que cuidam de nós como se também fossem nossos pais

Desde que meu pai faleceu, há pouco mais de um ano, o dia dos pais passou a ser uma data que me afeta emocionalmente, pois, ao mesmo tempo que remete à imensa falta que sinto dele, também me motiva a homenagear todos os outros “pais” que estão ao meu lado.

Um deles é meu marido, pai do meu filho e o maior parceiro que a vida já me deu. Quando namorávamos, eu admirava sua preocupação com os pais dele e já o imaginava como um pai amoroso e exemplar. Hoje, com nosso filho, vejo sua excepcional dedicação, e isso me faz amá-lo de forma imensurável.

Foi dele que recebi a mais triste notícia de toda a minha vida – a do falecimento de meu pai –, mas também foi ele quem me consolou e apoiou, foi solidário com minha dor, compreensivo e companheiro. Seu cuidado comigo é quase paternal, e isso transmite um sentimento de amparo e segurança que me mantém erguida e confiante em minhas decisões.

Outro “pai” que amo muito é meu irmão, nove anos mais velho que eu. Algumas das lembranças mais antigas que carrego é dele cuidando de mim enquanto minha mãe cuidava das tarefas domésticas. Quando eu tinha 10 anos ele percebeu minha paixão por literatura e passou a me levar à uma grande biblioteca de nossa cidade, experiência essa que carrego como algo determinante em minha vida.

Quando atingi a maioridade, foi ele também quem pacientemente me ensinou a dirigir. Os anos se passaram, ele se tornou pai e sempre que o via brincando com os filhos me recordava de nossas brincadeiras e de seu carinho. Hoje uma de suas filhas já é mamãe, e é gostoso admirar o amor que ele sente pelo neto.

E, há quase dez anos, fui contemplada com um outro “pai”: meu sogro. Logo que o conheci, senti sua preocupação comigo, com as minhas refeições, minha segurança. Fui rapidamente acolhida como um membro da família e, apesar das diferenças culturais que nos separam (ele é colombiano e eu brasileira), nos comunicamos perfeitamente, pois o afeto é um idioma universal.

E existe comemoração de dia dos pais sem agradecimento ao maior Pai de todos? Afinal, foi Deus quem me presenteou com o dom da vida, com todas as pessoas especiais que tenho o prazer de conviver e amar, é Ele que me consagra diariamente com graça e saúde, e me enche de fé e esperança sempre que necessito.

E é com a ajuda de Deus e todos esses “pais de coração” que consigo acalentar a falta que meu pai genitor faz e, assim, me entregar a todas as lembranças que o dia dos pais me traz, especialmente as boas.

Chorar de saudade faz parte da celebração da data, pois o choro é um reflexo de todo o amor e gratidão que permanece em mim. Porém um forte pensamento me conforta: sei que meu amado pai descansa em sua merecida paz, tendo ao seu lado todo o acolhimento e amor do Pai Eterno.

São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.