Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Cadastre-se e receba Aleteia diretamente em seu email. É de graça.
Receber

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

O desafio de saber relevar

FORGIVENESS
Shutterstock/Surasak Ch
Compartilhar

Assim como conceder o perdão, absolver os atos de alguém que indiretamente nos desapontou também é algo difícil

Batizados, casamentos e festas de aniversários são ótimas ocasiões para rever amigos e parentes queridos e especiais. Por outro lado, podem também propiciar reencontros com pessoas que você, se pudesse escolher, preferiria nunca mais encontrar.

Isso porque, ao longo da vida, acumulamos vínculos afetivos, desenvolvemos afinidades, tendemos a proteger, cuidar e defender nossas amizades. Mas situações alheias à nossa vontade podem abalar nossos relacionamentos.

Levante a mão quem apoiou uma amiga que passou por uma decepção amorosa, mas que, depois de um tempo, reatou o relacionamento? Quem nunca presenciou uma discussão familiar que envolveu muitas injúrias, mas que, passados alguns meses, todos se reconciliaram? Nesses casos, todos se valeram do perdão, mas, para você que estava de fora e tomou as dores daquele que ama, livrar-se da mágoa pode ser algo difícil.

Fatos assim acontecem o tempo todo, o que nos leva a deixar de enxergar qualidades no outro e – até mesmo – nos faz manter distância daquele que nos decepcionou.

Optar pelo distanciamento pode parecer um sentimento infantil, mas serve como uma espécie de proteção, como se nosso “inconsciente” resolvesse nos preservar de algo que pode nos desapontar ou entristecer.

Porém, o natural é buscarmos o amadurecimento e enfrentar os inevitáveis reencontros que a vida nos reserva. Perante isso, devemos pedir a Deus para apaziguar nosso coração e nos dar sabedoria para saber lidar com a situação da melhor maneira.

Portanto, quando você estiver frente a frente com quem te decepcionou, não o ignore e nem vire o rosto, fingindo que não o viu. No início, você pode até não conseguir esconder seu desconforto, mas tente ao menos esboçar o seu sorriso mais gentil.

Antes de tudo, lembre-se que a pessoa em questão já foi perdoada por quem você ama, e isso é o mais importante. E será assim, aos poucos, que você conseguirá relevar os atos do outro e aliviar o ressentimento que desnecessariamente ainda carrega.

Desapegue-se das lembranças ruins, do semblante triste que o seu amigo ou parente tão querido um dia estampou no rosto. Se hoje existe alegria, tudo foi superado. Se quem você ama está feliz, fique feliz também!

 

 

Boletim
Receba Aleteia todo dia
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.