Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Receba diretamente no seu email os artigos da Aleteia.
Cadastrar-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Parte para a eternidade a avó que salvou mais de 22 mil bebês do aborto na Itália

Paola Bonzi
Compartilhar

Sua última mensagem: “A vida é amor. Permaneçamos juntos, continuando a pensar em nossa missão, construindo assim o futuro”

Paola Bonzi, fundadora dos Centros de Ajuda à Vida, na Itália, faleceu aos 76 anos na tarde da última sexta-feira, 9 de agosto, em Brindisi, onde passava férias com o marido. A obra pró-vida que ela instituiu em Milão em 1984 salvou até hoje 22.633 bebês de serem abortados.

Cega desde os 23 anos de idade, Paola se dedicou desde jovem à educação de crianças com deficiência. Mais tarde, também se formou em consultoria familiar e ciências religiosas.

Desde 1978, quando a Itália aprovou a lei do aborto, passou a trabalhar em prol das gestantes e dos nascituros, o que a levou a fundar o primeiro Centro de Ajuda à Vida junto a um hospital, a Clínica Mangiagalli. Vários outros centros se seguiram, consolidando uma vasta rede de voluntários que ampararam milhares de mães e as ajudaram a lutar pela vida e bem-estar dos bebês que elas tinham chegado a pensar em abortar.

A atual presidente dos Centros de Ajuda à Vida, Marina Casini Bandini, em nota sobre o falecimento de Paola Bonzi, a descreveu assim:

“Corajosa, gentil, empreendedora, doce, tenaz, apaixonada e sempre pronta para acolher, pessoalmente, as mães tentadas a abortar por causa de uma gravidez difícil e inesperada. Ela levava para uma dimensão calorosa e humana, feita de escuta, empatia, confiança, esperança, apoio, acolhimento, as mulheres a quem o frio da indiferença e a cultura envenenada empurravam a renunciar a dar à luz o próprio filho. [Paola] repetia sempre que as crianças nasciam graças às suas mães, porque, no coração da mulher, reside o sim à vida”.

Paola Bonzi mantinha uma página no Facebook para compartilhar histórias de bebês que foram salvos do aborto nos Centros de Ajuda à Vida. A última mensagem que ela postou na página termina com uma frase significativa:

“A vida é amor. Permaneçamos juntos, continuando a pensar em nossa missão, construindo assim o futuro”.

O testemunho de quem foi ajudada pela obra de Paola

No seguinte artigo, trazemos um extraordinário relato de uma mulher que esteve a ponto de abortar, mas cuja vida foi transformada mediante o auxílio decisivo dos Centros de Ajuda à Vida:

Leia também: Há 32 anos, ela quase abortou. Agora, o filhinho dela se tornou papai!

Boletim
Receba Aleteia todo dia
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.