Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Alimente o seu espírito. Receba grátis os artigos da Aleteia toda manhã.
Inscreva-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Por que as cobras de uma ilha grega veneram a Virgem Maria no dia 15 de agosto?

Dormition Day of Virgin Mary
By Andronos Haris | Shutterstock
Compartilhar

Elas só aparecem no local no dia da Assunção de Nossa Senhora

Em 1705, um grupo de freiras ortodoxas que viviam na ilha grega de Cefalônia começaram a se preocupar com os piratas, que ameaçavam o convento. Sem meios de se defender, as freiras rezaram à Virgem Maria, pedindo ajuda. Ela respondeu, enviando um monte de cobras para o convento. Os animais, por sua vez, assustaram os piratas, que não conseguiam avançar até o local.

De acordo com a Catholic News Agency, “desde então, as pequenas cobras negras aparecem [no local] todos os anos, pouco antes da festa [da Assunção, conhecida na Igreja Ortodoxa como Dormição], e fazem o seu caminho até os muros da entrada da Igreja para ‘venerar’ a imagem de prata de Maria, chamada de  Panagia Fidoussa, ou Virgem das Cobras. O formato das cobras produz uma pequena cruz preta na cabeça”.

As cobras raramente deixam de aparecer. Nos últimos 100 anos, houve apenas duas vezes em que elas não vieram. Segundo o Greek City Times, “as cobras da Virgem Maria não apareceram duas vezes. A primeira vez em 1940, pouco antes do início da Segunda Guerra Mundial, e a segunda em agosto de 1953, quando Cefalônia sofreu um terremoto tremendamente destrutivo”.  Por isso, as pessoas já estranham quando as cobras não vão até o local nesta data.

As cobras são surpreendentemente dóceis ​​e facilmente manipuladas por qualquer um que se aproxime delas. É um milagre que é celebrado todos os anos e atrai uma grande multidão para a ilha, com muitas pessoas se reunindo nas igrejas para ver as cobras e rezar para a Virgem Maria em ação de graças por sua proteção milagrosa.

O fato de as cobras estarem conectadas com a Virgem Maria remete-nos à Bíblia.  Deus dirigiu-se a Satanás em sua forma de serpente, dizendo:

“Porei ódio entre ti e a mulher, entre a tua descendência e a dela. Esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar” (Gênesis 3,15).

Esta passagem refere-se tanto a Jesus quanto à Virgem Maria. Por essa razão, a Mãe Santíssima é tradicionalmente representada com os pés na cabeça de uma cobra.

Em certo sentido, essas cobras gregas podem simbolizar a autoridade da Virgem Maria sobre Satanás, e, até mesmo prestar uma homenagem a Nossa Senhora.

Seja qual for o motivo dessa visita nada comum, a população local vê as cobras como um lembrete de Deus e de sua proteção milagrosa de seu povo.

 

São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.