Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Cadastre-se e receba Aleteia diretamente em seu email. É de graça.
Receber

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

É desperdício uma pessoa bonita ser padre ou freira?

HOLY SPIRIT ADORATION SISTERS
Jeffrey Bruno
Compartilhar

Por que o fato de homens e mulheres atraentes e bonitos se tornarem padres ou freiras ainda motiva a perplexidade de tantas pessoas?

“Que desperdício!”

Esta é uma expressão bastante comum, utilizada em situações diversas. Mas uma delas chama a nossa atenção nesta reflexão. Por que o fato de homens e mulheres atraentes e bonitos se tornarem padres ou freiras ainda motiva a perplexidade de tantas pessoas?

A expressão, dita por pessoas de outras religiões, poderia até passar despercebida, mas por católicos chega a ser uma contradição.

Se acreditamos e temos Deus como centro de nossas vidas, o que mais valeria na vida do que viver totalmente para Ele? Então, já não soaria tão estranho que esses homens e mulheres, que se destacam por sua beleza, encontrassem numa consagração a Deus a sua escolha de vida, não é verdade?

O padre dominicano Terry-Dominique Humbrecht, no livro “Carta aos jovens sobre as vocações”, traz uma palavra esclarecedora sobre o assunto:

“Considera-se que há desperdício quando uma moça ou rapaz apresentam tantos encantos físicos, que Deus é indigno deles. Aqui encontramos um combate do sexo contra Deus. Isso é tão importante que as pessoas estão dispostas a conceder a Deus uma jovem considerada feia ou um rapaz pobre, mas não uma pessoa bafejada [favorecida] pela beleza ou pela fortuna!”.

Qual seria, então, a razão de uma consagração a Deus ser uma infelicidade na vida de alguém ou para sua família?

Para essa pergunta, padre Humbrecht tem uma resposta bem direta:

“Esse dom é uma graça, sendo também a ocasião de conferir um pouco mais de profundidade à vida. Há tantas famílias que, ao experimentá-lo, encontram uma alegria sem igual, ao passo que outras, que apostaram em demasiados valores terrenos, tranquilizam a consciência, mas mergulham numa vida monótona e cinzenta! Dar a Deus um lugar suficiente é, muitas vezes, uma forma de Lhe recusar o primeiro lugar, pontua.

Fica como reflexão final: Qual o lugar real em que estamos colocando Deus em nossa vida?

(Via A12.com)

Boletim
Receba Aleteia todo dia
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.