Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Receba diretamente no seu email os artigos da Aleteia.
Cadastrar-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Jesus nos ensina a vencer na vida

YOUNG JESUS
Compartilhar

Se seguirmos este conselho de Cristo, saberemos quem somos e para onde estamos indo, sem nada a nos impedir 

Não há nada mais libertador do que saber quem você é e para onde está indo.
No 23.º domingo do tempo comum (ano C), Jesus nos mostra como fazer isso.

É fácil esquecer quem somos e nos tornarmos apenas um na multidão.

Segundo o Evangelho, Jesus foi seguido por uma grande multidão motivada por aquilo que ele prometeu: o grande banquete do céu, para o qual todos os esquecidos são convidados.

Em vários pontos – narra o Evangelho – Ele parava e convidava as pessoas a segui-lo. Mas teve que eliminar algumas, não porque Ele não queria todos (Ele quer), mas porque Ele queria que cada um deles fosse verdadeiramente seu seguidor.

Então Jesus perguntava a eles o que Ele nos pergunta: estamos seguindo-o ou apenas seguindo a multidão?

Primeiro, Ele diz que eles não podemos ser seus discípulos “sem odiar pai e mãe, esposa e filhos, irmãos e irmãs e até a própria vida”.

“Ódio” aqui não significa desprezo; significa priorizar de forma diferente. Isso quer dizer que o amor que temos por Jesus deve ser diferente do amor que temos por outros seres humanos. Devemos estar dispostos a fazer qualquer coisa e mudar tudo por Deus.

Ele pergunta: quem você está tentando agradar? As pessoas ao seu redor? Ou Deus?

Em seguida, Ele nos lembra para onde estamos indo, dizendo:  “Quem não carrega a cruz e não vem atrás de mim, não pode ser meu discípulo.”

Muitas vezes, perdemos o significado da frase “Carregue sua cruz”. Achamos que isso significa apenas suportar os encargos que temos na vida.

Sim, significa isso, mas nunca se esqueça de que a única vez que você carrega uma cruz depois de Jesus é quando você é levado pelo torturador à sua morte. Nosso caminho ao longo da vida da cruz é um lembrete que  estamos nas garras do pecado que leva à morte – a de Cristo e a nossa.

Mas Jesus não é impotente ou fatalista. Ele sabe que há uma maneira de revidar.

Seus primeiros ouvintes teriam ouvido “carregar sua cruz atrás de mim” e imaginarem seus inimigos os capturando e matando.

Jesus diz que não devemos ser o cara que começa a construir uma torre – uma estrutura defensiva – e descobre que não consegue terminar. Também não devemos marchar contra o inimigo, diz Ele.

Jesus Cristo está nos dizendo para estarmos atentos à abordagem do inimigo – e não deixar que o inimigo aja contra nós.

Qual é a torre que construímos para ter uma perspectiva de nossa vida? Uma vida de oração, que deve ser construída e mantida com cuidado por muitos dias e semanas, meses e anos. Quando estamos sobrecarregados com o inimigo? Quando permitimos que ele se infiltre ao nosso redor, na forma de posses.

Sozinhas, nossas deliberações são “tímidas e inseguras de nossos planos”, diz o Livro da Sabedoria, “e o corpo corruptível sobrecarrega a alma”. Mal podemos entender nossa vida quando lidamos com “coisas na terra” e muito menos ” coisas no céu. ”

A torre que pode detectar nosso inimigo é construída em oração. São Paulo e Onésimo mostram como não dar espaço ao inimigo “renunciando a bens”.

São Paulo é livre e realizado, mesmo sendo prisioneiro. Ele não amaldiçoa seu cativeiro, desfruta de sua solidão com o Senhor. E Onésimo é livre e realizado, mesmo estando em escravidão, porque agora ele pertence a Jesus Cristo.

É isso que precisamos ser para evitarmos nosso inimigo: não vinculados a relacionamentos que remodelam nossa identidade além de Jesus, e não vinculados a posses.

Então, sozinho ou no meio da multidão, saberemos quem somos e para onde estamos indo, sem nada a nos impedir.

 

São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.