Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Cadastre-se e receba Aleteia diretamente em seu email. É de graça.
Receber

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

5 passos para pedir desculpas, de acordo com São Crisóstomo

Shutterstock
Compartilhar

Esses elementos de um bom pedido de desculpas podem nos ajudar a não faltar com a sinceridade

Às vezes, peço desculpas por cansaço. A discussão já está longa, estou cansado disso e percebo que minha única fuga é um rápido pedido de desculpas.

Por um lado, suponho que seja um ato de humildade. Não me importo mais em insistir na necessidade de estar certo ou sair vitorioso. Digo o que precisa ser dito e sigo em frente.

Por outro lado, minhas ações certamente poderiam ser interpretadas como cínicas. Sei que não precisaria dizer “desculpe-me”, mas ofereço um pedido de desculpas na esperança de poder seguir para uma atividade mais agradável.

Parece que há uma linha tênue entre um pedido de desculpas como uma oferta de paz e a total falta de sinceridade. Um pedido de desculpas verdadeiro envolve muito mais comprometimento e acompanhamento. No entanto, esse conceito de “acompanhamento” pode ser vago. O que exatamente está envolvido com um pedido de desculpas verdadeiro e sincero?

Recentemente, encontrei uma excelente explicação da arte de pedir desculpas ao ler a obra de São João Crisóstomo.

João viveu no século IV e, além de bispo, foi um escritor e orador prolífico. Ele foi apelidado de Crisóstomo, “língua de ouro”, por ser um pregador mundialmente famoso, conhecido pela eloquência de suas palavras. Aqui estão os cinco elementos de um bom pedido de desculpas, segundo esse grande homem:

1
ADMITA O ERRO

São João Crisóstomo diz: “Julgue a si mesmo”. Com isso, ele quer dizer que, para que um pedido de desculpas seja sincero, devemos admitir o erro.

A pior de todas as desculpas, na minha opinião, é aquela em que alguém diz: “Sinto muito por ter ofendido você com o que eu disse.” O erro é todo colocado sobre a vítima – você ouviu mal; você é muito sensível; você não reagiu adequadamente.

Peça desculpas pelo seu erro. A maioria das pessoas entende esse pequeno truque e considera que o pedido de desculpas é falso, então não adianta nada. Melhor fazer um exame de consciência honesto e admitir claramente qual o papel que você realmente desempenhou e quais erros você precisa admitir.

2
ESQUEÇA OS SENTIMENTOS NEGATIVOS

João Crisóstomo nos exorta a “não guardar rancor”. Um pedido de desculpas verdadeiro deve ter algum custo, que inclui deixar de lado a má vontade e o senso de estar sempre certos, para que possamos ao menos tentar ver o ponto de vista do outro. Caso contrário, a mesma discussão surgirá novamente no futuro. Mesmo se concordarmos em discordar, é de vital importância permitir que o pedido de desculpas seja efetivo e não deixe carregar emoções negativas adiante no relacionamento.

3
PEÇA PERDÃO

João Crisóstomo recomenda que as desculpas incluam um pedido de perdão “do fundo do seu coração”. O simples ato de pedir perdão permite que a outra pessoa participe do processo. Muitas vezes, na minha vida, descobri que isso também faz milagres na dissolução da tensão emocional, e o pedido de desculpas é rapidamente retribuído.

4
FAÇA A REPARAÇÃO

João Crisóstomo diz que fazer a reparação “tem um grande poder, maior do que aquilo que você possa dizer”. Para mim, a melhor reparação que posso fazer é tomar medidas para eliminar o problema que iniciou a discussão. Pode ser mudando a maneira como falo, sendo mais sensível a como as outras pessoas estão se sentindo ou mudando um hábito ofensivo. Um pedido de desculpas real é seguido por uma mudança real no comportamento. Esta é a parte mais difícil, mas é vital para uma verdadeira reconciliação.

5
MANTENHA A HUMILDADE

Na verdade esta é a parte mais difícil. Percebo que perdoo muito mais as falhas e os erros das pessoas humildes e gentis, provavelmente porque é óbvio que elas não foram ofensivas. Eu, por outro lado, não sou humilde (estou trabalhando nisso), então minhas ações, mesmo que eu pretenda que sejam benevolentes, nem sempre parecem muito gentis. Quando se trata de pedir desculpas de verdade, a humildade é fundamental, pois nos permite aceitar e receber desculpas mais rapidamente.

Conhecer as partes de um pedido de desculpas sincero nos ajuda a refletir e reparar o porquê nos estamos desculpando. Para mim, isso ajuda a impedir que eu solte rapidamente um pedido de desculpas antes de realmente pensar no que ele significa e em como preciso tornar verdadeiras as minhas palavras.

No final, não são apenas palavras, trata-se de reconciliação.

São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.