Aleteia logoAleteia logoAleteia
Terça-feira 23 Abril |
Aleteia logo
Estilo de vida
separateurCreated with Sketch.

Por que crianças de famílias numerosas têm uma vantagem na vida

BIG FAMILY

Shutterstock

Javier Fiz Pérez - publicado em 10/09/19

Você não encontrará uma "escola da vida" melhor do que fazer parte de uma família grande

A maioria dos comportamentos é aprendida, e a educação emocional de uma criança começa em casa.

As crianças aprendem a amadurecer emocionalmente enquanto os adultos em suas vidas ensinam e praticam com elas. Elas precisam da liberdade de dizer o que gostam ou não, e precisam ser incentivadas a iniciar conversas e brincadeiras com outras crianças.

Os pais devem sempre ter em mente que os filhos aprendem pouco a pouco, passo a passo. As habilidades envolvidas no amadurecimento emocional não apenas as ajudarão a se sair bem na escola e a fazer amizades, mas também as prepararão para o sucesso na vida.

As famílias com mais filhos têm uma vantagem nesse sentido, devido à quantidade de estímulos afetivos, relacionais e cognitivos que cada membro da família experimenta todos os dias.

Desde o primeiro ano, as crianças estão interessadas em conhecer as pessoas ao seu redor. Seu instinto de brincar começa nos primeiros meses e cresce ao longo dos anos – em grande parte estimulado por seus irmãos. É como uma escola da vida: elas têm vantagem no desenvolvimento social e afetivo, pois precisam aprender a gerenciar suas emoções com irmãos de diferentes idades, interesses e personalidades.

Irmãos brigam e discordam. Lidar com essas questões ensina as crianças sobre si mesmas e sobre os outros e as ajuda a aprender as normas sociais que governam essas reações.

A socialização começa quando a criança aprende a se relacionar com os outros – em outras palavras, desde o nascimento. Começa com o apego aos pais, continua com os irmãos e se estende a mais membros da família e instituições, como a escola, com o passar dos anos. Valores como colaboração, participação, utilidade, respeito e solidariedade não são ensinados com teorias, mas são aprendidos praticando-os com irmãos.

As crianças que vivem em famílias numerosas têm um relacionamento muito mais amplo com os colegas. As crianças aprendem a gerenciar suas emoções na chave do “nós” e não apenas do “eu”. Elas aprendem a cuidar de si mesmas, mas sem esquecer que outras pessoas também existem. Certamente esses benefícios não são apenas bons para as famílias, mas para toda a sociedade.

O desenvolvimento da inteligência emocional

Existem diferentes componentes nas emoções que se misturam e se relacionam. As emoções humanas são refletidas nos comportamentos e na linguagem corporal, que refletem nossos pensamentos e sentimentos.

As crianças, como os adultos, mostram suas emoções através de expressões faciais, gestos e palavras. Essas expressões são canais de comunicação, pois outras pessoas também podem vê-las.

Se as crianças estão aprendendo a distinguir e identificar essas emoções, dando-lhes um nome, elas adquirem uma grande capacidade relacional, resultado da inteligência emocional. A chave para reconhecer emoções também está na capacidade de interpretar a linguagem corporal, e isso vem com a experiência.

Nas famílias grandes, existem inúmeras oportunidades para que isso aconteça. Também existem sinais corporais que acompanham todas as emoções. Há a aceleração da frequência cardíaca, sudorese, movimentos do estômago, tensão nos músculos e assim por diante. Aprender a identificar e gerenciar essas emoções é um grande benefício que ajudará as crianças durante o resto de suas vidas.

As famílias numerosas são uma escola de solidariedade e compartilhamento, para o benefício de toda a sociedade. Elas promovem a abertura perante os outros, um pilar da qualidade de vida em todos os contextos sociais. São uma presença preciosa para promover e disseminar valores.

Hoje em dia, quando tantas pessoas estão limitadas aos canais de comunicação digital, a presença de pessoas que aprenderam a se relacionar emocionalmente com outras pessoas é um grande benefício. No local de trabalho, por exemplo, os especialistas agora procuram candidatos ricos em valores humanos e relacionais, com as “habilidades sociais” da flexibilidade mental e organizacional. Muitas dessas habilidades essenciais são aprendidas por osmose em famílias numerosas.

Tags:
EducaçãoFamíliaFilhos
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia