Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quinta-feira 28 Outubro |
Santos Apóstolos Simão e Judas Tadeu 
Aleteia logo
home iconAtualidade
line break icon

O que o Papa estava fazendo naquele 11 de setembro de 2001

João Paulo II 11 de Setembro

CC

Reportagem local - publicado em 11/09/19

"A consternação dele diante das imagens ia além da dor. Ele ficou um momento diante da televisão. Depois se retirou para a capela"

Era verão no Hemisfério Norte. Como de costume, o Papa se retirava do Vaticano durante alguns dias para descansar na residência pontifícia de Castel Gandolfo, não muito distante de Roma.

A notícia

O então porta-voz da Santa Sé, Joaquín Navarro-Valls, conta que foi ele próprio quem telefonou a São João Paulo II para lhe dar a notícia de que dois aviões acabavam de ser lançados contra as torres do World Trade Center de Nova Iorque por um grupo terrorista islâmico.

Em entrevista de dez anos depois, concedida ao Vatican Insider, Navarro-Valls contou que, naquele dia, o Papa estava

“…profundamente abalado, entristecido. Recordo que ele se perguntava como é que um ataque tão perverso podia acontecer. A consternação dele diante das imagens ia além da dor. Ele ficou um momento diante da televisão. Depois se retirou para a capela, que estava a poucos passos da saleta da televisão, e passou muito tempo lá, rezando”.

Logo que recebeu a notícia, São João Paulo II quis ir direto ao telefone para expressar ao presidente dos Estados Unidos a sua tristeza e solidariedade para com o povo norte-americano e para com as pessoas de dezenas de outros países que haviam sido afetadas por um dos atos terroristas mais assombrosos da história da humanidade. George W. Bush, porém, estava fora de alcance por razões de segurança. O Papa lhe enviou então um telegrama em que falava de “horror” e “ataques desumanos”, além de oferecer as suas orações “nesta hora de sofrimento e provação”.

O dia seguinte

No dia 12 de setembro, quarta-feira, a audiência geral com o Papa reunia uma multidão em cujos semblantes ainda estavam gravadas as cenas de horror do dia anterior: Torres Gêmeas, Pentágono, pessoas desesperadas, poeira, sangue, mortos. Eram as mesmas imagens a que São João Paulo II também assistira na residência de Castel Gandolfo, com angústia profunda.

Um leitor, durante a audiência, repassou aos fiéis um pedido do Papa:

“Para fomentar um clima de recolhimento e oração, o Santo Padre quer que não haja aplausos”.

A voz do Santo Padre tremeu de emoção ao afirmar que o 11 de setembro

“…foi um dia negro na história da humanidade, uma terrível afronta à dignidade do homem”.

Ele ainda externou a pergunta angustiante que muitos traziam no coração:

“Como podem ocorrer tais episódios de selvageria?”

Mas não ficou no desespero estéril e acrescentou:

“Mesmo no momento mais sombrio, o fiel sabe que o mal e a morte não têm a última palavra; mesmo que a força das trevas pareça prevalecer”.

Viagem mantida

Estava agendada para poucos dias depois a visita de João Paulo II ao Cazaquistão, país da Ásia Central de maioria muçulmana. Aconselhava-se ao Papa desmarcar o compromisso, considerado perigoso. Mas ele não o cancelou. E, em Astana, a capital cazaque, São João Paulo II proclamou:

“A religião nunca deve ser usada como motivo de conflito. Convido tanto os cristãos quanto os muçulmanos a rezarem intensamente ao Deus Todo-Poderoso que nos criou, para que o bem fundamental da paz possa reinar no mundo”. 




Leia também:
O bombeiro do 11 de setembro de 2001 que virou padre para salvar corpos e almas


WORLD TRADE CENTER

Leia também:
11 de setembro de 2001: o dia que devemos recordar para sempre

Tags:
Joao Paulo IITerrorismo
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
SANDRA SABATTINI
Francisco Vêneto
Primeira noiva em processo de canonização na história foi beatifi...
2
EUCHARIST
Reportagem local
O que fazer se a hóstia cair no chão durante a Missa?
3
Papa Francisco
Francisco Vêneto
Papa Francisco: “Tenho medo dos diabos educados”
4
Pe. Jonas Magno de Oliveira e sua mãe
Francisco Vêneto
Mãe de padre brasileiro se torna freira na mesma família religios...
5
Transplante de rins
Francisco Vêneto
Transplante de rim de porco em humanos: a Igreja tem alguma objeç...
6
As irmãs biológicas que se tornaram freiras no instituto Iesu Communio
Francisco Vêneto
As cinco irmãs biológicas que se tornaram freiras em apenas 2 ano...
7
BENEDICT XVI
Marzena Wilkanowicz-Devoud
A arte de morrer bem, segundo Bento XVI
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia