Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Receba diretamente no seu email os artigos da Aleteia.
Cadastrar-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

8, 12 e 15: as 3 datas especiais de setembro dedicadas a Maria

MARY
Compartilhar

Talvez a menos conhecida seja a do dia 12 - mas o seu significado é belíssimo!

Em setembro celebramos Nossa Senhora em três datas muito importantes:

  • Dia 8, sua Natividade
  • Dia 12, seu Santíssimo Nome
  • Dia 15, Nossa Senhora das Dores.

A festa do Santíssimo Nome de Maria existe porque merece! O nome de Maria se refere à Mãe de Deus, Rainha do Céu e da Terra, aquela em quem o Todo-Poderoso realizou maravilhas, fazendo dela a mais santa das criaturas.

O nome Maria vem diretamente do latim, Maria, que, por sua vez, deriva do aramaico Maryam ou Mariam, cuja versão em hebraico é Myrhiàm.

É interessante notar que não há um significado etimológico específico para este nome feminino tão simples e belo. Ele significa simplesmente… “Maria”! E, ao mesmo tempo, é fascinante observar que um nome tão simples contém tanto significado cristão!

A festa do Santíssimo Nome de Maria comemora, em suma, todos os dons concedidos a ela por Deus – e, por extensão, todas as graças que nós próprios recebemos de Deus por intermédio da Sua Mãe, que também é nossa.

A origem histórica da festa

Criada em 1513 na cidade espanhola de Cuenca, a celebração passou depois para o dia 15 de setembro, oitava da Natividade de Maria (8 de setembro). Por decreto do Papa Sixto V em 1587, foi transferida para 17 de setembro. Em 1622, o Papa Gregório XV a estendeu à arquidiocese de Toledo. A Congregação dos Ritos hesitou durante algum tempo antes de permitir novas extensões, mas é sabido que os trinitarianos espanhóis a celebravam em 1640. Com alguma nova permissão pontual aqui e acolá, a festa acabou sendo estendida a toda a Espanha e ao Reino de Nápoles em 26 de janeiro de 1671.

Em 1683, a grande vitória obtida no dia 12 de setembro pelos reinos cristãos contra os invasores otomanos que haviam cercado Viena levou à extensão da festa a toda a Igreja. Em decreto de 25 de novembro daquele ano, o Papa Inocêncio XI a marcou para o domingo seguinte à Natividade de Maria. Desde 1908, se a festa não puder ser celebrada no domingo devido à ocorrência de outra festa de grau maior, deve ser mantida em 12 de setembro, a data da vitória na Batalha de Viena de 1683.

Vale lembrar que, além dessa batalha decisiva, a Santíssima Virgem Maria também é celebrada em outra grande vitória da resistência cristã contra um ataque otomano: a Batalha de Lepanto, de 1571, recordada em 07 de outubro com a festa de Nossa Senhora do Rosário porque esta oração teve papel crucial para o triunfo cristão. Não à toa o Papa Pio XII a chama de “vencedora de todas as grandes batalhas de Deus”.

É imprescindível destacar que, ao venerarmos o Nome de Maria, estamos, como ela, dedicando o nosso amor ao Nome de Jesus, pois é a Ele que Maria nos conduz.

Boletim
Receba Aleteia todo dia
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.