Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Newsletter Aleteia: uma seleção de conteúdos para uma vida plena e com valor. Cadastre-se e receba nosso boletim direto em seu email.
Registrar

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Pe. Zezinho: Papas reformadores sempre enfrentaram resistências

Vatican City
Compartilhar

“Estamos presenciando o embate de uma parte da Igreja que quer reformas urgentes e de outra parte que questiona as reformas do Papa Francisco”

O pe. Zezinho publicou em seu perfil no Facebook o seguinte escrito sobre os Papas reformadores e as resistências com que tiveram de lidar ao longo da história da Igreja:

Papas reformadores e disciplinadores

Lutero era um culto monge Agostiniano. Seguia a filosofia e as catequese do cultíssimo Santo Agostinho.

Dizem que o monge Lutero não tinha a menor intenção de fundar uma igreja evangélica ou protestante! Queria apenas corrigir alguns decretos e aberturas do Papa do seu tempo.

O Papa não cedeu. Lutero também não! E em pouco tempo, nos começos dos anos 1500, com o suporte de alguns poderosos da época, iniciou uma nova Igreja Cristã na Alemanha, em conflito com a Igreja Católica em Roma. Faz 500 anos!

Agora leio por jornais, revistas e pela internet que há católicos, dessa vez, não monges, mas uns poucos cardeais norte-americanos, alemães e italianos e alguns leigos a contestar as atitudes renovadoras do Papa Francisco, que é um reformador.

Na história dos Papas houve vários deles que também reformaram a Igreja Católica do seu tempo, em geral porque os católicos haviam perdido a simplicidade e muitos purpurados agiam como príncipes. Releiam a História da Igreja! Houve Papas leigos, Papas padres, Papas monges e Papas políticos e de famílias políticas.

Leão Magno e Gregório Magno, ou seja Leão I e Gregório VII, reformaram a Igreja no seu tempo. Também Pio X, João XXIII, Paulo VI, João Paulo II, Bento XVI e o Papa Francisco se notabilizaram por reformas que marcaram sua época!

Alguns Papas renunciaram. Bento XVI foi o mais recente. Não fugiu; deixou espaço para seu sucessor, porque sua idade e saúde não permitiam trazer as disciplinas que a Igreja precisava. A Igreja enfrentou novamente, como séculos atrás, uma crise moral nas últimas décadas.

Estamos presenciando o embate de uma parte da Igreja que quer reformas urgentes e de outra parte que questiona as reformas do Papa Francisco.

Mas ele está fazendo o que Leão I e Gregório VII fizeram no seu tempo. Reformaram a cúria e o comportamento dos religiosos do seu tempo. E a maioria dos cardeais que votaram no cardeal de Buenos Aires sabia que ele continuaria o trabalho dos Papas das últimas décadas.

Toda reforma sacode os incomodados. Creio que seja esta a grita dos últimos tempos! Quatro desses Papas reformadores hoje são proclamados santos! Há quem não os aceite como santos. A Igreja Católica na sua maioria aceita.

Pio X, João XXIII, Paulo VI, João Paulo II hoje são invocados como santos. Veremos mais nas próximas décadas… A Igreja não volta atrás quando se trata de atualização e reformas. Ela raramente retrocede!

Tiraremos lições do passado, mas não voltaremos a ele. É para frente que se anda. Haverá riscos? Sim. Mas voltar será ainda mais arriscado!

José Fernandes de Oliveira, o Padre Zezinho scj

Via Facebook

Boletim
Receba Aleteia todo dia
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.