Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Domingo 25 Julho |
Santa Glodesinda
home iconEstilo de vida
line break icon

Bullying: o que você deve ensinar aos seus filhos para que eles se defendam dos agressores

Calah Alexander - publicado em 24/09/19

Nós devemos parar de focar tanto nos agressores e começar a capacitar as vítimas

Algumas semanas atrás, minha filha chegou da escola reclamando que foi intimidada intimidada. Novamente! O bullying tem sido um problema contínuo para ela. E tentamos abordar esta questão de várias. Mas estou percebendo que o bullying é um problema contínuo para todas as crianças, não importa quem elas sejam ou que escola frequentem.

Isso ocorre porque, na sua raiz, o bullying não é uma aberração do comportamento humano. Na verdade, é um ingrediente fundamental da dinâmica social que pode ser exercido e / ou experimentado de forma desproporcional durante o tempo em que as crianças estão aprendendo a navegar na dinâmica social.

Outro dia, encontrei um vídeo fascinante no Facebook do educador de habilidades sociais Brooks Gills, que tem uma abordagem radical do bullying. Ele diz que não devemos focar no agressor, mas sim no ensino da resiliência emocional das vítimas. Diz ele:

“As pessoas pensam que a maneira como nos livramos dos agressores é expulsando-os da escola, mas isso não é eficaz. Todo bullying consiste em um comportamento de dominância; alguém tem poder sobre você. Se é um desequilíbrio de poder, a resposta para impedir isso é capacitar o fraco.Se você entrevistar qualquer atirador de escola, eles dirão que foram vitimados. E quando vejo alunos com problemas sociais e emocionais, percebo que trata-se de uma criança que nunca foi ensinada a proteger seu coração da adversidade. Eles precisam ser ensinados, para que não se machuquem ou machuquem os outros em retaliação. 

A luta atual da minha filha é muito menos severa do que suas experiências anteriores como vítima – na verdade, é muito mais próxima das lutas “normais” de poder e popularidade pré-adolescente. Isso não está certo, mas é real e é uma dinâmica social que ela literalmente encontrará pelo resto da vida.

Com isso em mente, tenho mudado um pouco minha abordagem. Em vez de tentar ajudá-la a encontrar maneiras de evitar as colegas ou pedir ajuda na administração da escola, tenho tentado ensiná-la a gerenciar suas próprias reações emocionais. Eu continuo dizendo a ela que isso é errado e injusto, mas é um aspecto real da vida e as pessoas vão tratá-la assim pelo tempo que ela permitir. A chave, continuo dizendo a ela, não é dar a eles o poder de machucar, mas recuperar seu próprio poder.

Eu a incentivei a recuperar o poder indo embora, olhando sem expressão e sem responder, rindo de tudo que as garotas dizem para ela. Sienna tem um milhão de razões pelas quais ela não consegue fazer essas coisas ou por que não vai funcionar, mas eu digo para ela continuar tentando.

Não é uma lição fácil de ensinar, porque não é uma lição fácil de aprender. Eu ainda luto para me afastar da indiferença real e percebida das pessoas. Mas a realidade é que vivemos em um mundo onde a maioria das pessoas é desagradável ​​e a dinâmica social é frequentemente definida pela luta pelo poder.

Enfim, é minha obrigação como mãe ensinar meus filhos a serem emocionalmente resilientes – pelo bem deles e dos outros.




Leia também:
A emocionante carta de um pai sobre seu filho vítima de bullying

Tags:
CriançasEducação dos FilhosFilhosPecado
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
Reportagem local
A arrepiante oração de uma mulher no corredor da morte por ser ca...
2
CROSS;
Reportagem local
O que significa o sinal da cruz feito sobre a testa, os lábios e ...
3
Aleteia Brasil
Sorrisão e joelhos: 2 pais brasileiros e seus bebês que emocionar...
4
Papa Francisco
Reportagem local
Papa: como não culpar Deus diante da morte de um ente querido
5
JENNIFER CHRISTIE
Jeff Christie
Minha mulher engravidou de um estuprador – e eu acolhi o bebê nas...
6
st charbel
Reportagem local
Por acaso não está acontecendo o que São Charbel disse?
7
PADRE PIO
Philip Kosloski
A oração que Padre Pio fazia todos os dias ao Anjo da Guarda
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia