Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Receba diretamente no seu email os artigos da Aleteia.
Cadastrar-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Leitor questiona católicos e afirma que São Pedro nunca esteve em Roma: será?

CRUCIFIXION OF ST PETER
Compartilhar

A “prova” seria um trecho isolado do Novo Testamento em que Paulo afirma que “apenas Lucas está comigo”

Volta e meia, (re)aparece a velha acusação anticatólica de que a Igreja mente ao afirmar que São Pedro esteve em Roma e foi lá martirizado. Alguns detratores se baseiam numa passagem isolada do Novo Testamento para alegarem que, “segundo a Bíblia”, Pedro “nunca esteve em Roma”. A passagem em questão é da Segunda Carta a Timóteo, 4, 11, na qual São Paulo, escrevendo de Roma, diz: “Apenas Lucas está comigo”.

Seria esta então a “prova” de que São Pedro nunca esteve em Roma?

Não é preciso muito além do mínimo de honestidade intelectual para constatar que esse versículo afirma apenas que Pedro não estava ao lado de Paulo no momento em que Paulo escrevia aquele versículo. A mesma linha de “raciocínio” que extrapola que Pedro “nunca esteve em Roma” por conta deste versículo também poderia servir para afirmar que nenhum outro cristão da época estava em Roma além de Paulo e Lucas…

O que diz São Pedro

O próprio São Pedro termina a sua primeira carta com uma saudação criptografada em que faz menção à “Babilônia”.

Era a senha da Igreja primitiva para identificar Roma. Pelo contexto, o termo certamente não pode aplicar-se literalmente à cidade da Babilônia tantas vezes citada no Antigo Testamento. Antigos cristãos escreviam em suas cartas “Estou na Babilônia” em vez de “Estou em Roma” porque as autoridades do Império os perseguiam e, portanto, era arriscado explicitar por escrito a própria localização.

O uso de mensagens em código era bastante comum entre os cristãos clandestinos: o próprio símbolo cristão do peixe, até hoje popular, era um código secreto para identificar os cristãos apenas entre eles mesmos.

Leia também: Símbolo secreto cristão: por que o peixe?

O uso de “Babilônia” como código para “Roma” se devia ao que a antiga Babilônia tinha feito com os judeus, semelhante ao que Roma fazia então com os cristãos.

Outras evidências históricas

Estes dados históricos podem não ser suficientes para convencer alguns detratores da presença de São Pedro em Roma.

Outras evidências, porém, podem ser achadas em escritos primitivos e na arqueologia – e se alguém pretende acusar os católicos de mentirosos, deveria, por honestidade intelectual básica, examinar antes todas as evidências disponíveis. Algumas delas:

  • Santo Irineu, na sua obra “Contra as Heresias”, do ano 190 d.C., afirmou que São Mateus escreveu o seu Evangelho “enquanto Pedro e Paulo estavam evangelizando em Roma”.
  • Dionísio de Corinto, em 170 d.C., menciona explicitamente o “plantio feito por Pedro e Paulo em Roma”.
  • Em pleno século XX, arqueólogos escavaram sob a Basílica de São Pedro para checar se ela tinha mesmo sido construída sobre o túmulo de São Pedro. E o que eles encontraram nessa escavação? O túmulo de São Pedro! Até os túmulos próximos continham também inscrições que afirmavam: “Sepultado próximo de Pedro”.

Um interessante relato dessas escavações pode ser lido na obra “The Bones of St. Peter” (Os Ossos de São Pedro), do historiador, biógrafo e jornalista norte-americano John Evangelist Walsh (1927-2015).

A tradição

Segundo a tradição, São Pedro foi crucificado de cabeça para baixo, em Roma, porque não se considerava digno de receber a mesma morte imposta a Jesus.

SAINT PETER
Public Domain
São Pedro Apóstolo pediu para ser crucificado de cabeça para baixo porque ele não se sentia digno de imitar a morte de Jesus.

Na cultura católica, uma obra literária se tornou mundialmente célebre ao relatar o contexto da permanência e morte de São Pedro em Roma: “Quo Vadis?“, do autor polonês Henryk Sienkiewicz.

Leia também: Conheça um dos maiores clássicos da literatura cristã de todos os tempos

Leia também: Por que a Igreja celebra São Pedro e São Paulo no mesmo dia?

Boletim
Receba Aleteia todo dia
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.