Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Cadastre-se e receba Aleteia diretamente em seu email. É de graça.
Receber

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Para quem não pode pagar por remédios, São Vicente de Paulo oferece uma ajuda

GREEN CROSS
Compartilhar

As farmácias de caridade que operam sob a Sociedade São Vicente de Paulo ajudam os mais necessitados

Muitas pessoas conhecem a Sociedade São Vicente de Paulo como um lugar onde, assim como o Exército da Salvação, podem deixar roupas e itens domésticos indesejados que podem ser revendidos em seus brechós.

Mas um fato pouco conhecido é que em muitos lugares, a Sociedade, criada pelo padre francês do século XVII que dedicou sua vida a cuidar dos pobres, opera farmácias de caridade.

Em diferentes lugares dos Estados Unidos, as farmácias ajudam os adultos de baixa renda sem seguro-saúde a receber medicamentos gratuitamente.

As farmácias de São Vicente de Paulo são licenciadas pelo Estado e possuem muitos medicamentos para tratar males comuns, como doenças cardíacas, diabetes, infecções e outras doenças. Um farmacêutico responsável supervisiona o programa e conta com a ajuda de voluntários bem treinados.

Em Madison, Wisconsin, por exemplo, os voluntários da Farmácia de Caridade de São Vicente de Paulo incluem estudantes da Escola de Farmácia da Universidade de Wisconsin-Madison.

Em Cincinnati, a farmácia de caridade atende cerca de 60.000 prescrições por ano e agora faz parte de um novo Centro São Vicente de Paulo que fornece assistência de emergência e ajudas com necessidades básicas.

“Ohio aprovou uma lei que permite aos médicos estender os direitos de prescrição a farmacêuticos”, disse o gerente de farmácia Rusty Curington. “Em estreita parceria com o Centro de Saúde Bom Samaritano, eles estão nos pedindo para desenvolver este contrato de prática colaborativa. A ideia está relacionada ao tratamento do diabetes: podemos alterar uma dose de insulina para ajudá-los a obter um melhor controle. Poderíamos adicionar terapia para ajudar a prevenir um ataque cardíaco ou derrame. Isso significa que somos capazes de prestar assistência quando e onde um paciente realmente precisa.”

As farmácias contam com doações de empresas farmacêuticas. Em Dallas, os remédios são provenientes do Dispensary of Hope, uma câmara nacional de medicamentos em Nashville.

“Muitos indivíduos de baixa renda não podem pagar por remédios com receita médica e, se tiverem problemas crônicos de saúde, poderão não conseguir emprego constante”, disse Henry Dmann, diretor administrativo da farmácia, à DCEO Healthcare. “Então, estamos tentando fornecer a dignidade de acesso a medicamentos prescritos para pessoas que precisam desesperadamente deles”.

Hermann foi fundamental na abertura da farmácia em Dallas, e parte desse esforço incluiu uma campanha por uma mudança na lei do Texas. Até 2007, a legislação impedia que farmácias e clínicas de caridade aceitassem os remédios doados de empresas e distribuidores farmacêuticos, casas de repouso e outras clínicas médicas.

Na farmácia em Madison, o trabalho da Sociedade São Vicente de Paulo também está fornecendo um benefício extra – ajudando no treinamento de futuros farmacêuticos.

“Nosso objetivo aqui é ensinar aos alunos como prestar atendimento”, disse a farmacêutica Yolanda Tolson-Eveans.

Os estudantes medem a pressão sanguínea dos clientes em cada visita e conversam com eles sobre como eles estão. “Consideramos coisas além da medicação. Olhamos para os determinantes sociais, para a habitação e outras coisas que estão afetando sua capacidade de estar bem.”

Boletim
Receba Aleteia todo dia
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.