Aleteia

Quase jogado fora, ícone católico revela-se tesouro renascentista

Cimabue's Christ Mocked
Philippe LOPEZ | AFP
Compartilhar

Espera-se que “Christ Mocked”, de Cimabue, seja vendido por milhões quando colocado em leilão no próximo mês

Uma mulher de 90 anos que deseja permanecer anônima ficou chocada ao descobrir que o ícone católico que ela mantinha em sua casa há anos era realmente uma obra-prima do artista renascentista Cimabue. A peça, intitulada “Christ Mocked”, sobrevive desde o século 13 e foi avaliada em um valor entre 4 milhões e 6 milhões de euros.

Angelique Chrisafis, do The Guardian, relata que a dona do ícone decidiu se mudar e estava se preparando para jogar fora quase tudo na casa. Ela chamou um especialista, Philomène Wolf, de uma casa de leilões local para avaliar qualquer coisa que pudesse ser valiosa. Wolf disse ao The Guardian que identificou algo especial no ícone no momento em que o viu.

“Você raramente vê algo dessa qualidade. Eu imediatamente pensei que era uma obra do primitivismo italiano. Mas não imaginei que fosse um Cimabue.”

Cimabue era um artista influente na Itália renascentista e é reconhecido pelo desenvolvimento da arte através do uso de proporção adequada. Entre suas maiores obras, está um grande díptico de 8 seções – uma pintura em madeira com dois painéis articulados que podem se fechar como um livro – representando a paixão e a crucificação de Cristo. Acredita-se que o trabalho recém-descoberto faça parte dessa peça maior.

Wolf explicou que inicialmente esperava que o trabalho fosse avaliado em várias centenas de milhares de euros, mas, uma vez que os especialistas de arte de Paris viram a peça e seu status histórico foi revelado, foi avaliada em milhões. Desde os exames preliminares, o ícone foi submetido a estudos científicos, que determinaram, sem sombra de dúvida, que ele foi pintado por Cimabue.

O ícone está programado para ser leiloado em 27 de outubro na casa de leilões Acteon em Senlis.

Boletim
Receba Aleteia todo dia