Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Newsletter Aleteia: uma seleção de conteúdos para uma vida plena e com valor. Cadastre-se e receba nosso boletim direto em seu email.
Registrar

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Mais de 85 mil hondurenhos foram deportados de México e EUA em 2019

immigration US
Compartilhar

Ao fim de 2018, 82.847 pessoas retornaram ao país

Honduras recebeu mais de 85 mil pessoas deportadas dos Estados Unidos e do México ao tentarem migrar ilegalmente, fugindo da pobreza e da violência em seu país, apenas neste ano, informaram autoridades.

Três voos com mais de 300 hondurenhos deportados chegaram nesta sexta à cidade de San Pedro Sula.

De acordo com o Observatório de Migrações da Chancelaria, 85.443 hondurenhos foram deportados dos Estados Unidos e do México até a semana passada.

Ao fim de 2018, 82.847 pessoas retornaram ao país. Dessas, 7.208 foram deportadas após participarem das enormes caravanas migratórias que começaram em outubro do ano passado.

Os deportados denunciaram que, nos três voos que chegaram nesta sexta, eles foram transportados presos por correntes, e que foram soltos minutos antes de aterrizar no aeroporto de San Pedro Sula.

Um dos deportados, Joshua David Castro, disse à AFP que agentes de imigração lhe “prenderam no trabalho”. “Eu tenho que voltar (para os Estados Unidos) porque deixei minha esposa e filho de 6 anos lá”, disse.

Castro morava com sua esposa em Hosting, Texas, desde 2012, quando cruzaram a fronteira entre o México e os Estados Unidos ilegalmente. Ele deixou o empobrecido bairro de El Carrizal, em Tegucigalpa, devido “à crise em Honduras. Não há trabalho, há muita violência e a polícia não faz nada”.

(AFP)

Boletim
Receba Aleteia todo dia
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.