Aleteia
Segunda-feira 19 Outubro |
Santos Mártires Canadenses
Curiosidades

Uma abordagem clássica da felicidade que você pode querer tentar

PLATO,ARISTOTLE

Public Domain

Daniel R. Esparza - publicado em 29/09/19

O bom e velho conselho grego ainda é válido

Se você acha que a felicidade é algo que simplesmente acontece, você errou como filósofo grego.

Mesmo que a filosofia aristotélica (profundamente terrena) não ignore o fato de que existem certas coisas que estão além da ação humana (gostemos ou não, o acaso desempenha um papel em nossa vidas), o que é uma boa vida e como podemos viver a vida adequadamente é uma de suas questões centrais – e não deve ser entendida em termos de sorte, mas de atitude.

Agora, a ação não deve ser sempre heróica. De fato, o cidadão grego deveria se preocupar não apenas com heroísmo, mas também com a vida simples e cotidiana, vivida e pensada em termos mais amplos.

Ou seja, a vida cotidiana era considerada (pelo menos pelos aristotélicos) teleológica. Simplificando, dizer que a vida é “teleológica” significa que a vida tem um objetivo final (“telos”) independentemente do que nós mesmos queremos fazer com ela.

Para Aristóteles, esses “telos” seriam a felicidade. Isso significa que, mesmo se decidirmos que queremos ser encanadores ou cavaleiros, queremos ser encanadores felizes e cavaleiros felizes, e não irritados e irritadiços.

Mas a felicidade não é simplesmente um sentimento. A palavra grega para felicidade, “eudaimonia”, pode ser traduzida como “ter um bom espírito” ou “possuir uma boa alma”.

É aqui que o gênio aristotélico entra em ação. Ter um bom espírito seria o equivalente humano de ser uma faca com um bom corte. Você não chamaria uma faca de “boa” se não pudesse cortar bem, simplesmente porque é para isso que serve uma faca. Então, para que serve um ser humano? Se o corte é a atividade adequada de uma faca, qual é a atividade mais apropriada para um ser humano?

Aristóteles responderia dizendo que, mesmo que compartilhemos certas características comuns com plantas e animais (todos nos nutrimos, crescemos e reproduzimos), o que nos torna distinta e especificamente humanos é a nossa capacidade de pensar.

Essa parte racional da alma seria o que poderíamos considerar a “identidade” da pessoa, por assim dizer; o que é especificamente humano na pessoa humana.

Ou seja, a atividade própria de um ser humano é o pensamento racional. E o pensamento racional, traduzido em termos práticos, implica ação virtuosa.

Em resumo: assim como uma faca pode ser considerada “uma boa faca” porque corta bem e sem esforço, um ser humano pode ser chamado de “bom” se estiver vivendo racional e virtuosamente.

“É mais fácil falar do que fazer, Aristóteles”, podemos responder, mas Aristóteles pode muito bem responder: “Na verdade, é até fácil.” É apenas uma questão de criar hábitos seguindo uma regra simples: quando houver duas opções, sempre escolha a média relativa a você. Ou seja, o que não é um excesso nem um defeito, de acordo com suas próprias capacidades.

Então, se você é um boxeador peso-pesado de altíssimo nível, lutar com Tyson pode ser o que você deve fazer. Mas se você é um mestre de pingue-pongue, lutar com Tyson é algo que você não deve fazer.

Isso é prudência, segundo Aristóteles: a capacidade de distinguir entre excesso e defeito em todos os casos, o que nos permite distinguir a coragem tanto da imprudência (excesso) quanto da covardia (defeito).

A prudência é a chave virtude que garante a felicidade: aponta para a média entre ser esbanjador ou mesquinho (para que possamos ser generosos); arrogante ou autodepreciativo (para que possamos ser sinceros); e obsequioso ou briguento (para que possamos ser verdadeiramente amigáveis).

Se você quiser saber mais sobre essa abordagem clássica da felicidade, a Ética a Nicômaco, de Aristóteles, é o livro que você precisa ler.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
FelicidadeVirtudes
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
st charbel
Reportagem local
Por acaso não está acontecendo o que São Char...
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
FATIMA
Philip Kosloski
Fotos raras dos 3 pastorinhos de Fátima
POPE FRANCIS GENERAL AUDIENCE
Reportagem local
As 3 orações que o Papa pediu para rezarmos e...
Pe. Gilmar
Reportagem local
Brasil: padre desaparece e manda mensagem com...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia