Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quinta-feira 29 Outubro |
São Colmano
home iconEstilo de vida
line break icon

Quer que seus filhos sejam emocionalmente inteligentes? Dê a eles lápis e papel

EDUCATION

Shutterstock

Calah Alexander - publicado em 02/10/19

A caligrafia é mais do que uma habilidade - ela desenvolve caminhos neurais que se cruzam com nossas emoções

Confissão: eu tenho uma caligrafia terrível. Mas nem sempre foi assim. Na quarta série, eu tinha uma letra bonita. Tão bonita que minha professora me mandou escrever o versículo preferido da nossa turma para pendurar na parede da classe.

Eu mantive essa caligrafia até o Ensino Médio. Lentamente, eu abandonei minha letra. Na faculdade, eu desenvolvi uma estranha confusão entre letras cursivas. E depois veio o advento dos laptops, e minha anotação manual foi substituída por textos digitados.

De frente a um computador, focada nos trabalhos, minha mente foi perdendo a liberdade de vagar, criar, explorar.

Sei que já tive a capacidade de escrever lindamente, mas, como se vê, a caligrafia não é como andar de bicicleta. Não é só voltar. Depois de perdê-la, é difícil… talvez se possa recuperar, mas ao custo de horas de prática que as mães de filhos pequenos simplesmente não têm.

Eu sinto a perda da escrita à mão há décadas. Como resultado, incentivei meus filhos a usar e desenvolver sua letra com o que às vezes parece uma ênfase desproporcional. Mas pode não ser tão exagerado quanto eu pensava. De acordo com Medium, escrever manualmente, na verdade, estimula caminhos emocionais no cérebro que, sem a caligrafia, podem permanecer inativos.

O processo de escrever à mão envolve caminhos cerebrais relacionados às áreas que gerenciam emoções, afirma Virginia Berninger, professora emérita de educação na Universidade de Washington.

Digitar uma letra totalmente formada em um teclado é um tipo de tarefa muito diferente – que não envolve essas mesmas vias cerebrais. “É possível que não haja a mesma conexão com a parte emocional do cérebro” quando as pessoas digitam, em vez de escrever à mão, diz Berninger.

Honestamente, sinto-me aliviada e triste por isso. Explica por que não escrevo mais poesia e também por que me sinto tão triste quando penso na caligrafia que perdi. No entanto, há uma lição aqui. Praticar caligrafia não é um tipo de tortura do século XIX. É uma habilidade genuína que vale a pena aprender apenas pelos benefícios cognitivos. Incentivar nossos filhos a desenvolver sua letra é uma maneira de ajudá-los a conectar suas mentes com suas emoções. É uma maneira de ajudá-los a viver uma vida emocionalmente mais autoconsciente e inteligente.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
EducaçãoEducação dos FilhosFamília
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Reportagem local
Corpo incorrupto de Santa Bernadette: o que o...
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
OLD WOMAN, WRITING
Cerith Gardiner
A carta de uma irlandesa de 107 anos sobre co...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia