Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Receba diretamente no seu email os artigos da Aleteia.
Cadastrar-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

3 maneiras de combater a solidão

MĘŻCZYZNA NA PLAŻY
Anete Lūsiņa/Unsplash | CC0
Compartilhar

Em momentos em que as gerações mais jovens relatam ser mais solitárias, aqui estão alguns conselhos para todos nós

Vivemos em tempos de solidão. As taxas de solidão atingiram proporções alarmantes na população adulta dos EUA, tanto entre jovens como em idosos. Desde a década de 1980, a porcentagem de adultos americanos que se identificam como “solitários” dobrou de 20% para 40%.

Lembro-me de visitar minha avó em sua casa de repouso nos últimos anos de sua vida. Minha mãe, que visitava semanalmente a casa, costumava comentar sobre a triste solidão do ambiente. Muitos dos idosos residentes recebiam poucos ou nenhum visitante.

Mas, embora os idosos sejam com frequência especialmente vulneráveis, surpreendentemente, eles não são o grupo demográfico mais solitário.

O índice de solidão de 2018 da seguradora de saúde Cigna constatou que a geração Zers, com idades entre 18 e 22 anos, manifestou uma taxa de solidão de 48,3%, tornando-a a geração mais solitária.

Os millennials, com idades entre 23 e 37 anos, ficam em segundo lugar com uma pontuação de solidão de 45,3%. Paradoxalmente, essa epidemia de solidão em jovens adultos ocorre durante uma era de hiperconectividade eletrônica por meio das mídias sociais.

Para todos os adultos, o problema do isolamento social e da solidão acarreta sérios riscos à saúde física e emocional.

A solidão é agora uma ameaça à saúde tão grande quanto o tabagismo e a obesidade. Idosos que se identificam como solitários têm uma probabilidade significativamente maior de desenvolver demência do tipo Alzheimer, além de doenças cardíacas e morte prematura, quando comparados a seus pares mais conectados socialmente.

A solidão prolongada em qualquer idade aumenta a probabilidade de depressão e uma série de problemas de saúde mental relacionados.

O que podemos fazer para ajudar a nós mesmos e a nossos entes queridos que podem estar sofrendo de solidão?

1
CERQUE-SE DE MAIS PESSOAS

Marque um café ou almoço com um amigo. Ligue ou visite os pais e/ou familiares para se reconectar. Vá à Igreja. Encontre um grupo com interesses semelhantes (Horta ou jardinagem? Bike? Caminhada?) E reúna-se regularmente. Conversar com pessoas novas pode ajudar a facilitar conversas mais significativas com outras pessoas. Curiosamente, um estudo recente mostra que, mesmo para introvertidos, forçar-nos a agir mais socialmente do que tendemos a agir é realmente benéfico para o nosso bem-estar.

2
USE A MÍDIA SOCIAL DE FORMA POSITIVA

Pesquisadores sociais sabem há algum tempo que reduzir o uso de mídias sociais na verdade tende a nos tornar menos solitários. No entanto, as plataformas de redes sociais podem ser ferramentas úteis para manter contato ou alcançar pessoas com as quais realmente queremos manter contato. A chave é reduzir o uso exagerado e irracional, passando a usar as redes sociais intencionalmente para se conectar de maneira significativa.

3
ABRA-SE E DOE UM POUCO DO SEU TEMPO

Ser voluntário em uma organização que compartilha seus valores pode ser uma maneira eficaz de aliviar a solidão e de contribuir positivamente para a comunidade. Oferecer ajuda e um pouco do nosso próprio tempo pode nos tirar de casa e nos colocar em contato com outras pessoas. Isso reduz o isolamento, alivia a tristeza, diminui nossa autocentralidade, e ainda traz uma diferença significativa para mundo ao nosso redor.

Boletim
Receba Aleteia todo dia
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.