Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sábado 06 Março |
Bem-aventurada Rosa de Viterbo
home iconReligião
line break icon

Um dia com o “braço direito” do Papa Francisco e dos pobres em Roma

POPE FRATELLO

Courtesy of Vianney Largillier

Iwona Flisikowska - publicado em 23/10/19

"Padre Konrad, preciso fazer a barba", diz um homem. "E estou com muita fome desde a manhã", afirma outro

Ninguém fica surpreso ao ver o cardeal Konrad Krajewski nas estações ferroviárias romanas ou em passagens subterrâneas, pois há seis anos ele faz caridade em nome do Papa Francisco, sendo a “extensão” de suas mãos e do seu coração.

“O Santo Padre ficaria feliz em descer a rua sozinho. Afinal, sabemos que em Buenos Aires ele andava pela cidade e comia com os pobres muitas vezes por semana”, diz o padre Konrad, como é chamado.

Durante muito tempo, pensei em escrever um artigo sobre seu trabalho incomum e ao mesmo tempo comum. Perguntei-lhe recentemente: “poderia fazer uma entrevista com o senhor?” E acrescentei rapidamente: “sei que não estaria disposto a dar declarações para a mídia, mas talvez uma única frase?” O esmoleiro do Papa respondeu: “quando você estiver em Roma, eu a convido para me acompanhar à estação Temini ou Tiburtina, e depois veremos”.

Quando fui a Roma, pensei que não me sentiria bem apenas sendo uma “observadora da mídia” que escreveria sobre o trabalho do esmoleiro e sua missão especial de ajudar os mais necessitados. E não apenas materialmente.

Esmoleiro

Depois da Santa Missa de quinta-feira, nas Criptas do Vaticano, presidida pelo cardeal Konrad Krajewski, seguimos rumo aos banheiros que foram construídos sob a colunata na Praça de São Pedro. O cardeal perguntou: “Senhora Iwona, você escreve para a Aleteia?”. “Sim, respondi, e acrescentei que a Redação é internacional e trabalha em oito idiomas, incluindo árabe”.

O cardeal então comentou: “uma escultura dedicada aos refugiados foi inaugurada recentemente aqui. Esta é uma questão muito próxima e importante para o Santo Padre, que abençoou esta escultura recentemente” (no dia do refugiado, 29 de setembro).

“A escultura não tem apenas uma dimensão simbólica. Representa refugiados e migrantes ao longo dos séculos, de diferentes nacionalidades e idiomas e seu caminho” – explicou o cardeal.

Enquanto caminhamos, também falamos sobre o fato de que a maior pobreza do mundo hoje é a solidão e a falta de amor.

Ao nos aproximarmos da casa de banhos, vimos um grande grupo de pessoas. “Padre Konrad, preciso fazer a barba”, disse um homem. “E estou com muita fome desde a manhã”, disse um segundo homem.

“Vejo você na Porta Santa’Anna com um grupo de voluntários, com quem iremos à estação Tiburtina hoje à noite” – disse o cardeal, despedindo-se de mim e passando a responder imediatamente às necessidades das pessoas ao redor.

Apesar das dificuldades enfrentadas pelos mendigos e pessoas em situação de vulnerabilidade, notei a alegria deles ao ver o padre Konrad.

Meus amigos em Roma costumavam me dizer que o cardeal Konrad está pronto para ajudar os pobres durante 24 horas por dia. Ele sempre lembra a todos que Jesus também pediu ajuda e ajudou os pobres.

Jantar na estação de trem

Cheguei à Porta Santa’Anna com incerteza. Apareci lá 10 minutos antes da hora marcada para partir para a estação de trem Tiburtina. Um oficial da guarda suíça adivinhou para onde eu estava indo e me disse que o carro estava esperando e que todos estariam ali em breve. Ele me deu acesso através da área de segurança.

Vi o padre Konrad se aproximar. Eu não queria ser apenas uma jornalista que iria escrever uma reportagem, mas também queria ajudar. Ele me disse: “A Irmã Hania virá em breve e ela explicará tudo”.

E então apareceu uma sorridente Irmã palotina, formada em psicologia pela famosa Universidade Sapienza. Ela me explicou qual seria a tarefa. Irmã Hania já ajuda há quatro anos, não apenas indo às estações ferroviárias, mas também trabalhando na casa de banho e nos banheiros.

Também nos acompanham o padre Maksymilian e padre Daniel, este com um verdadeiro senso de humor italiano. Saímos pelas ruas de Roma. E o padre Konrad comentou que os oficiais da Guarda Suíça também costumam ser voluntários. Quando chegamos à estação de Tiburtina e saltamos do carro, ouvi de longe o grito entusiasmado: “padre Konrad, buona sera (boa noite)!”

Vi que o padre Konrad vestiu um colete amarelo, e todo mundo fez o mesmo. Entre a multidão de pessoas esperando por ajuda, vi um homem de terno e, muito surpresa, perguntei à Irmã Hania se esse homem fora até lá pedir ajuda também. Irmã Hania sorriu e disse que não, que ele era o vice-diretor dos Correios do Vaticano e que tinha seguido para lá direto do trabalho.

Além de nós, havia mais voluntários. Francesca e Mohamed, que, vendo minha surpresa com seu nome, disseram que ele era muçulmano e também queria ajudar os pobres, porque “todos temos o mesmo Deus amoroso”.

Havia muitas pessoas que precisavam de ajuda. Encarregada de entregar produtos de higiene, observei que o padre Konrad estava encarregado de servir comida em pratos descartáveis e entregar para as pessoas que formavam fila.

Tudo isso durou duas horas. Depois de servir o jantar, além de alimentos para viagem e produtos de higiene, limpamos a área e partimos de volta. Desta vez, o carro foi dirigido pelo “cardeal da rua”, porque o padre Konrad tem esse apelido.

Retornando à casa dos meus hóspedes romanos, lembrei-me de uma frase que o padre Konrad havia me dito antes: também temos pobres ao nosso redor.

Tags:
CaridadePapaPapa FranciscoPobrezaromaVaticano
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
MIRACLE
Maria Paola Daud
Mateo se perdeu no mar… e apareceu nos braços do pai
2
MADONNA
Maria Paola Daud
A curiosa imagem da Virgem Maria protetora contra o coronavírus
3
SAINT JOSEPH
Philip Kosloski
10 coisas sobre São José que você precisa saber
4
Reportagem local
Santo Sudário, novo estudo: “Não é imagem de morto, mas de ...
5
PADRE PIO
Philip Kosloski
A oração que Padre Pio fazia todos os dias ao Anjo da Guarda
6
Santo Sudário
Aleteia Brasil
Manchas do Santo Sudário são do sangue de alguém que sofreu morte...
7
SAINT JOSEPH
Philip Kosloski
Quantos anos tinha São José quando Jesus nasceu?
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia