Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Receba diretamente no seu email os artigos da Aleteia.
Cadastrar-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

11 dicas para crescer em humildade

WOMAN IN DOUBT
Di BONNINSTUDIO -Shutterstock
Compartilhar

A humildade é uma virtude importante que traz equilíbrio às nossas vidas

A humildade não é popular na sociedade moderna, que tende a recompensar a autopromoção e ostentação. No entanto, se você optou por ler este texto, é porque a humildade é uma questão importante para você.

O que é humildade?

Para começar, é útil entender o verdadeiro significado da palavra ou, pelo menos, saber de onde ela vem. Humildade vem da palavra latina “humus”, que significa solo. Todos nós ouvimos a expressão “colocar os pés no chão”, certo? É disso que se trata: humildade significa estar em contato com a realidade, estar adequadamente orientado no mundo, não nas nuvens de fingimento e da vanglória.

Humildade também significa ter uma verdadeira consciência do que você vale, não do que você pensa que vale ou do que as outras pessoas dizem que você vale.

Prioridades

Muitos de nós aspiram a grandes coisas na vida. Temos ambições razoáveis: queremos ser bem-sucedidos e relevantes em nossa profissão, vida familiar e comunidade. Às vezes, porém, nossas ambições podem ser prejudiciais e desordenadas. Eles podem nos levar a negligenciar certos aspectos de nossa vida que são mais importantes do que aquilo que estamos buscando. A humildade corrige nossas ambições exageradas e nos ajuda a dar às coisas seu tempo, lugar e prioridade adequados.

Esteja avisado, no entanto: não é fácil. Quando nos encontramos imersos em algo pelo qual somos apaixonados, isso pode se expandir como um gás e ocupar todos os espaços da nossa vida.

Por exemplo, se amamos nosso trabalho, ele pode começar a atrapalhar nossa vida familiar. Ou, se gostamos de nos divertir com nossos amigos, isso pode implicar que acabemos não estudando o suficiente. Em ambos os casos, ser humilde significa reconhecer quando fomos longe demais, admitir isso para nós mesmos e para os outros e corrigir nosso comportamento.

“Lembra-te que tu és pó…”

Isso também pode acontecer com coisas menos saudáveis ​​que o trabalho ou os amigos; quando nos concentramos demais em nos entregar sem considerar nossos deveres para com Deus, com os outros e até com nós mesmos, podemos acabar com sérios problemas.

Quando caímos muito baixo, descobrimos que somos feitos de pó (“húmus”) – e às vezes essa percepção pode até nos levar ao desespero. Podemos ser assaltados pela tentação de dizer: “‘Não há mais saída para mim. É melhor eu ficar aqui na ‘terra’. ”Ou podemos sofrer um ataque de orgulho: ‘como eu, que sou tão grande, caí tão baixo?’”, e podemos começar a nos odiar, por não aguentar mais ver quem realmente somos.

Uma virtude ativa

Ser humilde nos ajuda a preservar nossa esperança quando atingimos o fundo do poço. Precisamos apenas dizer “eu sou um desastre” uma vez e seguir em frente, voltando a ficar em pé e procurando soluções.

Não devemos nos envolver em nossa miséria como se não houvesse saída. A humildade é uma virtude ativa. Não se trata de se repreender, abaixar a cabeça e não olhar nos olhos de ninguém; trata-se de reconhecer a verdade de quem somos e nossos deveres, alavancando nossas forças para o melhor efeito, e reconhecendo nossas fraquezas.

Dicas práticas

Em nossa vida cotidiana, existem várias maneiras pelas quais podemos viver a virtude da humildade:

  1. Cuide das suas coisas sem tentar indevidamente chamar a atenção de outras pessoas.
  2. Dê o melhor de si por uma causa que é maior do que você mesmo, não apenas pelo seu ego.
  3. Peça ajuda se precisar.
  4. Não se preocupe com o que as outras pessoas podem pensar de você quando você faz coisas boas.
  5. Entenda que cada um de nós tem seu próprio caminho, e nem todos precisam seguir o seu.
  6. Seja grato a Deus e aos outros por tudo o que se recebe, especialmente quando as coisas saem bem.
  7. Reconheça que não sabemos tudo e que temos muito a aprender com nossos superiores, colegas e pessoas abaixo de nós em idade ou autoridade.
  8. Antes de reclamar, devemos considerar o bem que pode vir do que quer que tenha acontecido conosco, seja bom ou ruim.
  9. Peça perdão às pessoas que você feriu ou ofendeu.
  10. Mantenha uma atitude de abertura e escuta.
  11. Não se esconda quando tiver consciência de que você tem habilidades que podem melhorar o mundo em que vivemos.

Fundamento

Talvez o primeiro passo para viver com humildade seja reconhecer que somos criaturas de Deus. Fomos criados com amor, com um propósito, e somos apenas um dos muitos filhos de Deus.

Temos liberdade, mas somos chamados a exercitá-la, não para satisfazer nossos caprichos, mas para alcançar a plenitude da vida e santidade para a qual Deus nos criou. Não é um objetivo que possamos alcançar sozinhos, porque todos fazemos parte da criação de Deus, com um papel a desempenhar em um quadro maior.

Somos peças de um quebra-cabeça. Precisamos pedir ajuda a Deus e precisamos trabalhar lado a lado com os que estão ao nosso redor para cumprir nosso potencial, para realmente preencher nosso lugar no mundo. Quando reconhecermos isso, nós nos dirigiremos a Deus em busca de força e orientação, e Ele nos ajudará a conhecer a nós mesmos e a agir de acordo.

Boletim
Receba Aleteia todo dia
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.