Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Newsletter Aleteia: uma seleção de conteúdos para uma vida plena e com valor. Cadastre-se e receba nosso boletim direto em seu email.
Registrar

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

A capela decorada com 5.000 ossos humanos e sua útil recordação

CC BY-SA 4.0
Compartilhar

Frades franciscanos ergueram paredes inteiras de caveiras e ossos para nos lembrar da inevitabilidade da morte

Clique aqui para abrir a galeria de fotos

Muitas igrejas medievais guardam coleções assustadoras de ossos, também conhecidos como “ossários”, do latim “ossum” (osso). Mas talvez nenhuma possa rivalizar com a decoração da Capela dos Ossos, uma pequena capela na cidade portuguesa de Évora, adornada com 5.000 ossos.

Localizada Igreja de São Francisco, a Capela dos Ossos foi criada no século 16, depois que os cemitérios locais estavam ficando sem espaço para enterrar cadáveres.

Em vez de simplesmente encontrar um novo cemitério para os crentes que partiram, os frades franciscanos que dirigiam a Igreja de São Francisco decidiram criar um projeto misterioso destinado a lembrar aos visitantes a inevitabilidade da morte.

Os visitantes que entram na capela estão literalmente cercados de ossos: linhas de caveiras decoram as paredes, enquanto uma mistura de ossos de braços e pernas formam as colunas. E, de fato, ossos são o foco da frase gravada no topo da entrada de mármore da caverna: “Nós ossos que estamos aqui, pelos vossos esperamos”.

Para entender a intenção dos frades franciscanos, é útil examinar a história de Évora. Durante o século XVI, a cidade estava passando por um período de imenso crescimento, graças ao estabelecimento de rotas comerciais com colônias portuguesas na América do Sul. Muitos cidadãos locais ficaram subitamente mais interessados ​​em riqueza do que em fé.

Por esse motivo, os frades franciscanos decidiram criar um lugar que pudesse convidar as pessoas a refletir sobre a inevitabilidade da morte e suas implicações para o nosso comportamento como católicos durante a vida.

Boletim
Receba Aleteia todo dia
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.