Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Cadastre-se e receba Aleteia diretamente em seu email. É de graça.
Receber

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Por que Pio XI queria que todos proclamassem que “Cristo é Rei”?

CHRIST THE KING
Compartilhar

Ele acreditava que o fato de se reconhecer Jesus como rei levaria a uma paz duradoura na terra

O mundo estava tumultuado na década de 1920, após a Primeira Guerra Mundial. Os líderes políticos estavam lutando para estabilizar seus países e muitos deles começaram a recorrer a métodos violentos para manter seus súditos na linha.

O Papa Pio XI sabia que algo precisava acontecer, e por isso publicou uma encíclica em prol da paz mundial.

A encíclica foi intitulada Quas Primas. Nela, Pio XI proclamou com ousadia:

Quando os homens reconhecerem, tanto na vida privada quanto na pública, que Cristo é Rei, a sociedade finalmente receberá as grandes bênçãos da liberdade real, da disciplina ordenada, da paz e harmonia.”

Ele explicou que, se reconhecida, a realeza de Cristo teria um efeito profundo em toda a sociedade:

“Se príncipes e magistrados devidamente eleitos estiverem cheios da persuasão de que governam, não por direito próprio, mas pelo mandato e no lugar do Rei Divino, eles exercerão sua autoridade devota e sabiamente, e farão leis e administrarão tendo em vista o bem comum e também a dignidade humana de seus súditos. O resultado será uma paz e tranquilidade estáveis, pois não haverá mais causa de descontentamento. Os homens verão em seu rei ou em seus governantes homens como eles, talvez indignos ou abertos a críticas, mas por esse motivo não recusarão a obediência se virem refletida neles a autoridade de Cristo Deus e do homem. Paz e harmonia também resultarão, pois com a expansão e a extensão universal do reino de Cristo, os homens se tornarão cada vez mais conscientes do vínculo que os une, e assim muitos conflitos serão impedidos por completo ou pelo menos sua amargura será diminuída.”

Esse “reinado” de que Pio XI fala é aquele em que Jesus é o “Rei dos Corações”, destacando sua “sua misericórdia e bondade que atraem todos os homens para ele.

Jesus é o Rei dos reis, aquele que governa não com mão de ferro, mas como um pai amoroso que serve seus filhos com humildade e compaixão. Jesus não é um ditador que procura dominar a humanidade, mas um rei de amor, que coloca diante de nós um exemplo a seguir.

Como podemos estabelecer esse “reino” na terra?

Pio XI explica que o reino de Jesus “exige de seus súditos um espírito de desapego das riquezas e das coisas terrenas e um espírito de gentileza. Eles devem ter fome e sede de justiça, e mais do que isso, eles devem negar a si mesmos e carregar a cruz. ”

Não tenhamos medo de proclamar que “Jesus é Rei”, pois quando o fazemos, estamos prontos para lutar sob a bandeira dele pela paz no mundo através da misericórdia, bondade e gentileza. Não conquistaremos o mundo pela espada, mas seguindo nosso líder em uma batalha espiritual que é travada no coração.

 

 

Boletim
Receba Aleteia todo dia
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.