Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Newsletter Aleteia: uma seleção de conteúdos para uma vida plena e com valor. Cadastre-se e receba nosso boletim direto em seu email.
Registrar

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Papa visita pessoas à espera de atendimento em posto de saúde

Compartilhar

Desde o início do semana, 8 ambulatórios atendem gratuitamente no local os pobres e mais necessitados na Praça de São Pedro

O Papa Francisco fez hoje uma visita surpresa ao Posto de Saúde da Praça de São Pedro, no Vaticano.

A visita-surpresa, caracterizada justamente pelas Sextas-Feiras da Misericórdia do Papa Francisco, foi emocionante sobretudo para quem estava no local, fazendo exames, na hora em que o Papa chegou, pouco depois das 16h. O Papa Francisco foi acolhido com calorosos aplausos e todos querendo saudá-lo e abraçá-lo.

Desde o início do semana, 8 ambulatórios atendem gratuitamente no local os pobres e mais necessitados, por ocasião do Dia Mundial dos Pobres, comemorado no domingo (17).

Na visita a essa espécie de “hospital temporário”, o Papa estava acompanhado do presidente do Pontifício Conselho para a Promoção da Nova Evangelização, Dom Rino Fisichella, que apresentou ao Pontífice os médicos, enfermeiros e voluntários que trabalham nos 8 ambulatórios.

Segundo um comunicado da Sala de Imprensa da Santa Sé, Francisco ficou muito satisfeito com a estrutura montada para oferecer um verdadeiro serviço de emergência.

Pontífice também recebeu palavras de agradecimento por parte dos profissionais sanitários que realizam um trabalho voluntário, alguns inclusive que decidiram pegar dias de férias para poder compartilhar a experiência em favor de tantos necessitados.

O Papa Francisco fez uma breve oração, saudou de novo todos os presentes e concluiu a sua visita-surpresa, em meio a muita gratidão e alegria dentro do Posto de Saúde.

Segundo a Sala de Imprensa da Santa Sé, centenas de pobres estão usufruindo todos os dias dos serviços especializados, disponíveis aos pobres até domingo (17), que seguem a orientação da Associação Nacional dos Médicos Genéricos, com o auxílio das Enfermeiras da Cruz Vermelha.

Moradores de rua

Depois de visitar o Posto de Saúde, o Papa foi inaugurar o Centro de Acolhimento para moradores de rua que vai atender tanto de dia como de noite no Palácio Migliori.

O edifício do Vaticano de quatro andares, dotado de um elevador para facilitar o acesso de idosos e pessoas com algum tipo de deficiência, foi construído em 1800 e fica a poucos metros da Colunata da Praça São Pedro.

O local, confiado à Elemosineria Apostólica, tem capacidade para receber 50 pessoas e será administrado pela Comunidade de Sant’Egidio, uma organização italiana não-governamental.

No local, Francisco foi acolhido pelo cardeal Konrad Krajewski, esmoleiro do Papa, que conduziu a uma breve visita ao local, inclusive à capela do Centro de Acolhimento dedicada a São Jorge. “A beleza cura”, expressou Francisco ao contemplar os ambientes bem decorados.

Segundo um comunicado da Sala de Imprensa da Santa Sé, depois o Papa visitou os andares dedicados aos quartos e ao refeitório, onde aproveitou para fazer um lanche com algumas pessoas que vivem no local e também com voluntários – entre eles, alguns que moravam pela estrada e que agora encontraram um trabalho e uma renda estável e se empenham como voluntários na estrutura.

Durante o rápido encontro com eles, o Papa falou da cultura do descarte e da necessidade de recuperar um sentido de responsabilidade pelos pobres. Francisco também escutou a história de vida dos voluntários, que há muitos anos levam o jantar a quem vive pela estrada, e as dificuldades enfrentadas para organizar os funerais deles.

O Papa Francisco também lembrou durante a conversa que, quando era jovem, tinha o hábito de deixar um prato pronto durante as refeições, especialmente nos dias de festa, para quem precisasse. Dessa forma, o Pontífice mostrava a necessidade de “educar os jovens à compaixão”.

(Com Vatican News)

Boletim
Receba Aleteia todo dia
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.