Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Alimente o seu espírito. Receba grátis os artigos da Aleteia toda manhã.
Inscreva-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Brasil: governo criará canal para pais denunciarem abusos morais em escolas

BOYS
Shutterstock | DGLimages
Compartilhar

“Queremos uma parceria de escola e família: que a família seja consultada, mas não delegando as suas responsabilidades”, afirmou ministra

O governo federal brasileiro está criando um canal de comunicação para que pais de alunos possam denunciar casos de abuso moral verificados em escolas. A notícia foi dada pela ministra dos Direitos Humanos, Damares Alves, nesta terça-feira, 19, quando participou de audiência pública em Belo Horizonte sobre suicídio e automutilação entre jovens.

“O canal está sendo formatado entre os ministérios da Educação e dos Direitos Humanos. Vai ser anunciado em breve. O que queremos é somente o cumprimento da lei. O Brasil é signatário do Pacto de São José da Costa Rica. Lá está dizendo que a escola não pode ensinar nada que atente contra a moral, a religião e a ética da família”.

A ministra citou o recente caso de um professor do Distrito Federal que, durante uma aula de português para alunos de 11 e 12 anos de idade, escreveu no quadro uma série de expressões chulas ligadas a práticas sexuais, além de explicar às crianças o significado de cada respectiva prática – de masturbação a sexo anal. O episódio gerou indignação entre pais de alunos, repercutiu em todo o país e levou a escola a comunicar o desligamento do professor, que, em sua defesa, alegou não ter recebido adequado treinamento da instituição.

A ministra acrescentou:

“A família precisa ser ouvida. O que queremos trabalhar no Brasil é uma parceria de escola e família. A família sendo consultada, mas não delegando suas responsabilidades”.

Leia também: Menino de 2 anos obrigado a se transformar em menina: uma tortura documentada

Boletim
Receba Aleteia todo dia
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.